Brasil é campeão Sul-americano sem tomar pontos

2
249
A Seleção Brasileira de Futebol Americano foi campeã do primeiro Sul-Americano da modalidade Foto: Chiarini Junior

O 1º Sul-americano de futebol americano foi um grande marco para a Seleção Brasileira da modalidade. O time concretizou a sua sabida superioridade no continente ao derrotar Colômbia e Chile de forma contundente. Os placares de 56 e 55 a zero somam-se a outras cinco vitórias do Brasil Onças em toda a sua história, contra três derrotas.

> Confira o histórico das partidas da Seleção Brasileira de Futebol Americano

Entrevista com Brian Guzman, head coach da Seleção, logo após a partida

Brasil 55 x 00 Chile – o jogo do título Sul-americano de Futebol Americano

Assim como havia sido contra a Colômbia, o Brasil Onças começou mostrando sua superioridade já em sua primeira campanha, rapidamente anotando o primeiro touchdown. O quarterback Àlvaro Fadini deu um bom passe para Lucas Adolfo abrir o placar, com extrapoint convertido por Amilcar Neto.

O jogo chegou a ficar truncado por alguns minutos, mas logo veio o segundo touchdown brasileiro ainda no primeiro quarto. Fadini deixou a bola com Maranhão, que se livrou dos tackles e chegou a endzone adversária sem grandes dificuldades. Amilcar novamente converteu o extrapoint.

No segundo quarto foram mais três touchdowns. Novamente Lucas Adolfo encaixou uma boa corrida e anotou o segundo TD dele na partida. No retorno após o chute chileno, Heron Azevedo fez uma corrida espetacular e adicionou mais um touchdown no recorde de touchdowns anotados com a camisa da seleção: agora são oito. E ainda teve conversão de dois pontos com Victor Ramalho, e poucos minutos depois um passe longo de Lucas Caravita para uma recepção espetacular de Bernardo Horevitch.

O Brasil Onças foi para o intervalo com 35 a 00 no placar, e com essa vantagem, pôde administrar um pouco mais o jogo no segundo tempo. Mas não diminuiu o ímpeto e por isso, mais touchdowns foram anotados.

Lucas Caravita acertou mais um passe, desta vez um passe curto na esquerda para Athos Daniel se livrar dos marcadores e anotar o touchdown dele nesta edição do Sul-Americano. Ainda deu tempo de bloquear um punt chileno e na recuperação, Munir Ahmed anotou o dele. E por fim, novo passe de Caravita, desta vez na endzone para recepção de Victor Vilaça.

Fim de jogo, vitória de 55 a 00 e título Sul-Americano assegurado. Para o quarterback Lucas Caravita, que brilhou nos passes diante do Chile, foi uma experiência inesquecível em sua estreia com a camisa do Brasil Onças de Futebol Americano Masculino. Ele inclusive, com os touchdowns marcados no jogo, bateu o recorde de touchdowns em um ano no futebol americano nacional – 50 ao todo.

“Foi um jogo incrível, e agora é só comemorar essa conquista. Foi uma partida bem forte no aspecto físico, mas conseguimos impor nosso ritmo de jogo do início ao fim. Vencemos e mostramos que temos um coletivo muito forte e que foi o diferencial para esse título”, explicou o quarterback ao final do jogo.

O que vem por aí?

O Brasil Onças agora aguarda a definição da data e local das eliminatórias para o mundial de futebol americano, que devem acontecer no próximo ano. A Copa do Mundo foi adiada para 2025.

Mais sobre o Sul-Americano

> Igor Mota: Brasil pode ser o catalisador do crescimento do FA na América do Sul

> Com 20 anos de futebol americano, Heron Azevedo avalia o Sulamericano

> A hipermaratona de Victor Quintas

> Brian Guzman: Sul-americano é uma reativação rumo ao próximo Mundial

> Gonzalo Cataldo: “Queremos saber onde estamos e onde queremos chegar”

> Colômbia faz história e derrota Chile na abertura do Sul-Americano

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPlacar FABR – 2 e 3 de dezembro
Próximo artigoBicampeões sul-americanos destacam “escola Weilers”
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here