Galo bate Locomotiva na prorrogação e é pentacampeão mineiro

0
1
De mão cheia: Galo vence mais uma vez e é pentacampeão mineiro. Foto: @patyguedesfotografias
De mão cheia: Galo vence mais uma vez e é pentacampeão mineiro. Foto: @patyguedesfotografias

Em jogo eletrizante ocorrido no Centro de Treinamento Universo no sábado (6), entre América Locomotiva e Galo Futebol Americano, o alvinegro sagrou-se pentacampeão estadual após vencer o arquirrival por 19 a 12 na prorrogação. Entre os primeiros quatro períodos regulamentar o placar permaneceu 12 a 12. Esta foi a primeira final decidida no overtime dentre as oito edições da competição.

Destaque coletivo, o front defensivo atleticano apareceu na hora certa. Na última bola do jogo o linerbacker Bruno Nascimento interceptou o jogador do Coelho e ajudou a equipe a celebrar o quinto troféu em âmbito estadual.

Esquadrão Alvinegro conquista o primeiro feito em Minas Gerais, tornando-se o primeiro pentacampeão estadual: 2018, 2019, 2022, 2023, 2024.

Como foi a final do Campeonato Mineiro de Futebol Americano 2024

O América ganhou o sorteio do cara ou coroa e decidiu que o Galo recebesse a bola. Assim, o alvinegro teve o seu primeiro momento na partida, já com falta a seu favor. O primeiro ataque da equipe alvinegra foi terrestre e, seguindo a projeção, parou sua campanha em uma 4ª descida. O Esquadrão abriu o placar após sua primeira jogada aérea: Miguel Mendonça achou Daniel Martins, que abriu o marcador – 6 a 0.

O Coelho começou induzindo o jogo terrestre, que culminou em um punt, após um 3-and-out. Ao devolver a bola, o running back Ryan David conseguiu boa descida para o time atleticano, mas a jogada foi anulada por falta. Assim, na terceira tentativa, o Galo Futebol Americano trabalhou um reverse e conseguiu mover as trincheiras, por não chegar à marca apontada, o Esquadrão não foi bem no drive e devolveu a bola ao adversário.

O jogo terrestre prevaleceu e o atual campeão viciou o jogo entre Miguel e Ryan. Em situação de 3&7 o alvinegro conseguiu sua primeira descida, surpreendendo seu adversário. Em uma segunda pro touchdown, o então tetracampeão ampliou o marcador com Arthur, e o fim da jogada ficou em 12 a 0 favorável ao atual campeão.

No segundo quarto, já com onze minutos por jogar, o Galo Futebol Americano pediu seu primeiro tempo para ajustar a marcação uma vez que o América ganhou confiança ao atacar.

O Coelho executou bela jogada aérea, que funcionou e confundiu a secundária. Em situação de redzone americana o jogo se focou nas trincheiras. Em situação de terceira descida o América enfim diminuiu e deixou o jogo em uma posse de bola.

A posse de bola voltou a ser atleticana, mas o front defensivo americano foi eficiente, portanto, a bola voltava às mãos americana. O Locomotiva chegou a executar a chamada trick-play, e chegou ao meio-campo.

Assim, a equipe mandante engrenou no jogo; trabalhou um novo drive mas foi barrada em uma 4&7. O coelho tentou converter um field goal, mas pegou mal na bola e cedeu o turnovers-on-down. O alvinegro gastou os dezesseis segundos do primeiro tempo.

O Locomotiva arriscou o segundo tempo no passe lateral, e com bom avanço. A defesa alvinegra, entretanto, esteve bem postada nessa campanha, e forçou o erro americano. Apesar da posse de bola em mãos alvinegras, não resultou muita coisa e a campanha foi ineficaz, restando ao front defensivo executar sua parte.

A partir do terceiro período, o Locomotiva tomou conta do jogo e realizou bom drive, que culminou no empate do Coelho em 12 a 12. O Esquadrão tentou responder à altura em conexão de Miguel para Vitor Rhoden. O Galo seguiu com a bola quando terminou o terceiro período.

O último tempo regulamentar foi mais tenso, com ambos os lados buscando a ‘bola do jogo’. O front defensivo trabalhou bem e neutralizou o Esquadrão nas trincheiras. O moral americano se elevou — o Galo pediu um tempo para parar tanto o cronômetro tanto para ajustar o time; já o América desperdiçava um field goal —. A bola da vez esteve nos pés do Kicker do Coelho. O Galo executou o freezer-kicker (pediu tempo) e o chute foi para fora.

DECISÃO NA PRORROGAÇÃO

Na prorrogação o Galo começou bem, já executando um touchdown, invalidado por uma falta. Entretanto, buscou novamente pontuar. Miguel lançou a bola para Rhoden. O camisa 11 mergulhou para deixar a equipe atleticana viva na competição. Por fim, Miguel correu para a endzone. Chamone converteu o extra-point e selaria a conquista com uma interceptação de Bruno Lima.

VP do Galo FA, hoje comemoramos o pentacampeonato e também a evolução do FA aqui em Minas Gerais, mostramos a força de Minas em um jogo entre duas equipes bem qualificadas, e com nível técnico admirável. Agora é virar a chave por que dia 3/08 estreamos no Nacional contra o Vasco aqui em Belo Horizonte.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCoritiba Crocodiles vence Brown Spiders e chega a mais uma final
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here