Em final da BFA, Galo tenta conquistar primeira parte da maratona

1
198
A união do time pode compensar o desgaste físico na parte final de uma temporada desafiadora do Galo FA Foto: Agência Photoland | Baah Lins

Se 2022 marcou um retorno heroico do FABR diante de toda adversidade criada pela pandemia que parou o mundo, o Galo Futebol Americano colocou-se em uma posição ainda mais desafiadora: a de disputar todos os campeonatos possíveis.

O seu adversário na final da BFA 2022 deste sábado, o T-Rex, priorizou a preparação física e enfatizou a não-participação em um campeonato estadual como algo positivo (confira o nosso Hangout com o General Manager Bruno Takahashi).

> Em inédita final em Timbó, o T-Rex busca o tricampeonato nacional

Já o Galo (campeão da BFA em 2018) colocou a exposição da marca e a divulgação do esporte como prioritários em sua inédita tarefa de jogar o estadual, a Liga BFA, o Brasileirão da CBFA e a Taça Brasil. E claro, com o adendo da pressão de ser o favorito ao título tem todos os campeonatos (confira o Hangout com o presidente e o vice da equipe que carrega as cores do Atlético Mineiro).

Final em Timbó

A final deste sábado, às 15h, será o terceiro embate entre as equipes, no histórico de confronto encontramos tudo igual: uma vitória para cada lado. Em 2018, pelos playoffs da Liga BFA, o Galo venceu a equipe catarinense por 14 a 10 em BH e, no fim do ano passado (2021), o T-Rex venceu um amistoso contra o Galo FA por 34 a 14.

A equipe Timbó Rex conquistou a vaga no Brasil Bowl após vencer o Sorriso Hornets por 28 a 06. Já o Galo Futebol Americano, garantiu a vaga após vencer o imponente João Pessoa Espectros por 18 a 11.

A diferença entre os times pode estar no tempo de descanso. Enquanto o Rex não joga desde 29 de outubro e está totalmente concentrado para a final em casa, o Galo encarou o Espectros e o Weilers pelas suas semifinais nacionais.

Para balancear o fator físico, o Galo aposta na cabeça, como aponta o head coach Joaquin “Kinas” Juarez: “Realmente poderia ser até um fator grande fisicamente, mas estamos trabalhando muito na parte psicológica dos jogadores, o ritmo de jogo está ótimo e realmente as minhas equipes de performance e saúde são os responsáveis do nosso sucesso, eles estão cuidado muito bem ao time”, explicou.

Para Kinas, o ponto forte do Galo é justamente o trabalho em equipe, dentro e fora do campo, e a cultura da equipe, que garante as vitórias do time que está invicto e já disputou 14 jogos nos últimos seis meses. Para o mexicano, o detalhe da final pode estar nos special teams: “Nosso ponto de atenção na final contra o Rex vai ser nos times especiais. Eles também são um time que trabalha muito e gosta de competir”.

A conquista do primeiro título nacional em disputa na temporada (o Brasileirão D1 da CBFA será em Curitiba, dia 27, contra o Crocodiles) significa coroar uma temporada ininterrupta de trabalho desde o início do ano: “O título vai ser o resultado do nosso trabalho, a gente tá correndo atrás das coisas desde muito tempo atrás (47 semanas). Sabemos a importância das coisas a serem conquistadas, os sacrifícios e tudo mais. Mas a grande importância que fica para mim é olhar os meus jogadores e triunfar. Eles merecem ser parte da história do FABR conquistando os dois títulos”, concluiu o comandante do Galo FA.

> Confira tudo sobre a BFA 2022 em nossa página especial

Serviço: T-Rex x Galo Futebol Americano (Brasil Bowl, Liga BFA 2022)
Local: Complexo Esportivo de Timbó (SC)
Data e Horário: Sábado, 19 de Novembro, às 15h
Ingressos: no local /// Transmissão: YouTube BFA

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEm inédita final em Timbó, o T-Rex busca o tricampeonato nacional
Próximo artigoRex derrota Galo em Timbó e é tricampeão nacional
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here