BFA 2022 contempla todas as regiões, com uma divisão e também feminina

1
450
A Liga BFA chega a sua quarta edição dividindo o status de competição nacional do futebol americano do Brasil com o Brasileirão da CBFA Arte: Cesar Freitas / Salão Oval

A volta do hiato provocado pela pandemia da Covid-19 reservou não somente os desafios de uma difícil retomada dos altos custos de jogar futebol americano no Brasil. Mas também o primeiro ano, desde 2015, em que haverá, novamente no FABR, dois campeonatos nacionais: um da Confederação Brasileira de Futebol Americano (CBFA), ainda não anunciado oficialmente, e o da Liga BFA, agora em sua quarta edição e anunciado hoje.

Neste ano, o campeonato contará com a participação de 46 equipes, somando as modalidades masculina (41, em uma só divisão, diferente da última realizada) e feminina (com 5 times).

Um campeonato nacional com representatividade de todas as regiões

É raro um campeonato nacional de primeira divisão entre os esportes coletivos que tenha representantes em todas as regiões. E o futebol americano, com a BFA, consegue ser este esporte. Assim como nas edições anteriores, o torneio terá cinco conferências regionalizadas. A diferença é que agora não haverá mais divisões de acesso ou elite. Todos os times passam a ter as mesmas chances de chegar à final.

Ao todo, 33 municípios de 18 estados diferentes serão representados nesta edição da Liga BFA, mostrando a força e crescimento que o futebol americano brasileiro tem de norte à sul do País.

“Será o campeonato mais democrático de todos. Contaremos com equipes de todas as regiões do País e acreditamos que teremos uma excelente competitividade. Estes times são guerreiros, afinal, passar por toda pandemia da Covid-19 e conseguir retornar em grande nível é algo a ser engrandecido”, comentou Marcel Dantas, presidente da ACFA.

Jogos, Conferências e Grupos:

Quanto à temporada regular, serão 85 jogos em 21 finais de semanas diferentes (a tabela oficial de jogos ainda não foi divulgada pela BFA). De junho até setembro, todos os sábados ou domingos terão jogos da BFA. Ainda haverá mais 22 confrontos dedicados aos playoffs regionais e nacionais. Ao todo, serão 107 partidas nesta edição do torneio. Em relação à tabela, o kickoff acontecerá no dia 4 de junho. A final da competição também já tem data marcada: 19 de novembro (evitando o dezembro com a Copa do Mundo de Futebol, no Catar)

“A expectativa é buscar o tricampeonato, assim como fazemos em todos os anos. Estivemos parados devido à pandemia e optamos por não expormos nossos atletas. Mas com a volta da BFA e mais segurança, retomamos nossos treinamentos desde novembro de 2021”, comentou Robson Sena, head coach do João Pessoa Espectros, atual campeão do Brasil Bowl.

Em tempo, a BFA seguirá rigorosamente todas as recomendações dos órgãos de saúde no que se refere à Covid-19. Serão aplicados os protocolos sanitários em vigência em cada cidade nas quais os jogos forem realizados. O mesmo serve para o limite de público.

> Confira as páginas especiais do Salão Oval das Conferências da BFA 2022 (masculino)

Mais representatividade: Competição Feminina

Além da representatividade regional, a BFA continua feminina e continuará a ter uma versão específica para as guerreiras do FABR. Os cinco times que disputam a edição 2022 serão a atuais campeãs do Curitiba Silverhawks (PR), além do Curitiba Coldkillers (PR), América Big Raiders (RJ), Portuguesa (SP) e Brasília Pilots (DF). A página especial da BFA feminina estará disponível até amanhã (2 de março).

Com assessoria Liga BFA

COMPARTILHAR
Artigo anteriorRegionalizado e inteligente, Paranaense volta para sua 12ª edição
Próximo artigoBFA 2022: Saiba como serão os playoffs e os caminhos regionais para a final
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here