Deslocado, Arsenal recebe Hawks em batalhão de Cuiabá

1
166
O americano Kent Lee, novo reforço do Cuiabá Arsenal Foto: Junior Martins

O 44° Batalhão de Infantaria Motorizada, conhecido historicamente por “Batalhão Laguna”, em Cuiabá, sediará o confronto do Cuiabá Arsenal com o Rondonópolis Hawks no próximo domingo, no dia 28 de julho, às 14h, com abertura dos portões às 13h30. O ingresso será um quilo de alimento não perecível, que será doado para instituição filantrópica, e limitado para os primeiros 300 torcedores.

O Cuiabá Arsenal teve cinco confrontos com o Rondonópolis Hawks, entre 2015 e 2018, e foram vitoriosos em três deles. Foram três vitórias e uma derrota pelo Campeonato Mato-grossense de Futebol Americano e uma perda em um amistoso no ano passado.

Longe da Arena Pantanal

De acordo com o presidente do Cuiabá Arsenal, Denevaldo Barbosa Jr, quando se discutiu sobre a construção da Arena Pantanal para a Copa do Mundo de Futebol de 2014, na época, o Cuiabá Arsenal foi um dos argumentos utilizados por políticos para se justificar a construção de um grande estádio multiuso em Cuiabá.

O Cuiabá Arsenal havia obtido permissões para partidas na Arena Pantanal e, dentre elas, o jogo contra o Rondonópolis Hawks, uma promessa da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). Mas a autorização foi retirada, o que deixou o clube mandante desamparado. Na sequência, em nota, a Secel declarou a Arena Pantanal um espaço com prioridade ‘especial’ para o futebol profissional, já que a equipe da cidade está pela primeira vez na Série B do campeonato nacional (confira a íntegra da nota aqui).

Reforço americano

Apesar da derrota, o comandante da equipe, o head coach e quarterback Tommy Kudyba, minimiza a situação: “Felizmente, um jogo não define uma temporada. Outras equipes com vários campeonatos nacionais (Crocodiles, Rex), também perderam no primeiro jogo. O Hawks mostrou com sua vitória que são talentosos e que não será um jogo fácil”.

E para aumentar a confiança, o Arsenal trouxe mais um reforço americano: o wide-receiver Kent Lee McDonald, nascido em Salina, no Kansas.

“Estou pela primeira vez no Brasil e me adaptei muito bem ao clima de Cuiabá, pois é bem semelhante ao de onde vim, no Kansas. Faz três anos que acompanho a liga brasileira de futebol americano e espero contribuir dentro e fora de campo com o Cuiabá Arsenal, tanto na preparação física, quanto na mental e na técnica dos jogadores”, comenta Kent Lee, de 28 anos, 1,92m de altura e 92 quilos.

McDonald jogou na Northwestern Oklahoma State University, de 2008 a 2011, onde teve recorde de capturas para touchdown, começou a carreira profissional no futebol americano de arena na equipe do Chicago Blitz, em 2014, e jogou no Amarillo Venom, no Texas, de 2015 até 2017.

Empolgação contra a tradição

O Rondonópolis Hawks, ao contrário do Arsenal, vem de uma estreia vitoriosa, após um empolgante jogo contra o Sinop Coyotes. Mas o head coach  Eduardo Narvaes prega uma certa cautela: “Precisamos de cautela por conta da qualidade e história do Arsenal, mas se quisermos subir de patamar e chegar ao nosso objetivo, precisamos ter ambição e acreditar na vitória”.

Para Eduardo, saber “jogar o jogo” nos momentos adversos foi uma força da equipe contra o Coyotes, algo que será válido contra o tradicional Arsenal: “A resiliência do time (foi o ponto forte). Saímos perdendo em casa na estreia da BFA. O time não se abateu e continuou no plano de jogo proposto até conseguir a virada”.

Com assessoria Cuiabá Arsenal / Junior Martins

> Saiba mais sobre a Conferência Centro-Oeste da Liga BFA em nossa página especial

Serviço: Cuiabá Arsenal x Rondonópolis Hawks – Liga BFA 2019

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCoyotes x Hornets: “É o maior clássico do Mato Grosso”
Próximo artigoAgenda FABR – 27 e 28 de Julho
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here