Caçadores quer mais uma vitória contra potiguares

0
94
Em dois jogos contra potiguares, duas vitórias do time cearense. Foto: Berg Parker

Até agora, são dois jogos e duas vitórias para o Ceará Caçadores contra equipes do Rio Grande do Norte. A última, um épico 53 a 49 contra o América Bulls na Arena das Dunas; a primeira, um sólido 28 a 00 contra o adversário deste domingo (02), o UFERSA Petroleiros.

Ida e volta

Esse ano, os times do Nordeste estão jogando partidas de ida e volta, repetindo um adversário. O objetivo é de reduzir distâncias e custos. Se por um lado reduz a competitividade, há um ganho em rivalidades regionais.

Seguindo esse raciocínio, o head coach do Ceará Caçadores, Bruno Rocha, aprova a medida: “Eu aprovo sim, acho justo por conta dos fatores extra-campo. Lógico que o ‘mundo ideal’ seria enfrentar todos os adversários, independente de distância. Mas se formos por esse lado, seria bom mesmo jogar com outras Conferências na temporada regular. Mas o momento não é disso. É focar em desenvolver o esporte de maneira sustentável”.

Já Armando Gomes foi um pouco mais crítico em sua análise do sistema: “Sou a favor pela diminuição de custos e distâncias. O ponto negativo é que para um time como o Petroleiros, acabamos pegando duas vezes um time que é favorito ao título (da Conferência) e outros times pegam adversários menos classificados. Ou seja, há times com uma tabela muito forte e outros, com uma muito fraca. Mas como o financeiro pesa mais, há mais prós do que contras”.

Clima para a partida

Ambas equipes vêm de resultados positivos na rodada anterior. Enquanto o Caçadores venceu de forma épica em Natal, o Petroleiros comemorou sua primeira vitória na BFA deste ano contra os conterrâneos do Scorpions.

“O time já recuperou o fôlego da vitória contra o Bulls. Foi um jogo emocionante e muito cansativo (quase 4h30 de jogo, fora de casa). Mas passou. Já treinamos e fizemos reuniões focadas em acertar algumas coisas e no próximo adversário. Os resultados anteriores não vão impactar nos próximos”, garantiu Bruno.

Para o time de Mossoró, o triunfo anterior serviu para aliviar a pressão: “Vitória sempre é bom, sempre importante. Tirou a pressão e praticamente garante que não seremos rebaixados. Tínhamos feito o trabalho, mas não estava surtindo efeito dentro de campo. Agora, entramos nos jogos mais como franco-atiradores”, explicou Armando.

Por isso, o técnico mossoroense acredita em um melhor desempenho do Petroleiros em Fortaleza do que na estreia em casa: “Estamos com boa expectativa para o jogo. Na primeira partida, o primeiro tempo foi bem parelho, mas nosso ataque não produziu. No segundo, o Caçadores produziu e perdemos o jogo. Agora, como franco-atiradores, se nosso ataque produzir, a gente tem alguma chance de sair de Fortaleza com a vitória. Lógico, eles são favoritos, mas sinto que temos chance no jogo. Acredito que nosso desempenho, no geral, será melhor do que na estreia em Mossoró”.

Bruno Rocha concorda que o time da casa é o favorito, mas prega atenção: “Jogamos em casa, estamos com uma campanha melhor, não tem como não dizer que somos favoritos. Sabemos dessa ‘responsabilidade’, mas também do potencial que eles têm e que precisamos entrar atentos desde o começo para poder impor nosso jogo”, finaliza.

> Confira agenda, resultados e classificação da Conferência Nordeste da BFA

Serviço – Ceará Caçadores x UFERSA Petroleiros – BFA

Quando: Domingo, 2 de setembro, às 14h

Onde: Estádio Murilão Mesejana – Fortaleza

Ingressos: saiba mais nas mídias sociais dos Caçadores

COMPARTILHAR
Artigo anteriorRex e Croco fazem o clássico da Conferência Sul
Próximo artigoScorpions e Bulls reeditam clássico de Natal
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here