Rex abate Hawks e defende tetra contra Istepôs

0
482
Well Garcia fez dois touchdowns na vitória do Rex e usou o número quatro em homenagem ao wide-receiver Guilherme Meurer, lesionado no amistoso do Mineirão entre Brasil x Argentina. O jogador deve voltar aos gramados na BFA este ano. Foto: Cacá Constantinov / Salão Oval

Em sua melhor partida na 13ª edição do Campeonato Catarinense, o atual tricampeão T-Rex acelerou desde o primeiro segundo e não deu nenhuma chance para que o surpreendente Black Hawks pudesse sonhar com o SC Bowl XIII. Bassani comandou o ataque da equipe por quase todo o jogo e Well Garcia relembrou seus melhores momentos na equipe (em 2016) para dar a vantagem que o time precisava já no primeiro quarto.

Com a vitória por 35 a 06, Rex e Istepôs repetem a final dos últimos três anos, todas vencidas pela equipe de Timbó. O time de São José garantiu a sua vaga na partida de ontem, na vitória contundente contra o Jaraguá Breakers.

Como foi a semifinal

Em uma longa e cuidadosa campanha comandada pelo quarterback Luis Carlos Bassani Jr, o T-Rex chegou à endzone e inaugurou o placar com a corrida de Well Garcia. Diego Boddenberg garantiu mais um ponto e o 7 a 0 figurava em Gaspar já no meio do primeiro quarto.

Na campanha do Black Hawks, a linha defensiva do T-Rex, em especial Bruno Takahashi, empurrou o time da casa do meio do campo para a jarda 20 de defesa. Após o punt do Hawks, na primeira descida de ataque, Well Garcia correu mais de 60 jardas para assinalar mais um touchdown, ainda no primeiro quarto. Com a confirmação do extra-point, 14 a 00 para o Rex.

A pressão em cima do quarterback Carraro continuou forte no segundo quarto, forçando a movimentação do comandante do ataque de Gaspar e dificultando os passes. Já o Rex não teve a mesma eficiência ofensiva e não conseguiu pontuar no período.

Mas na volta do intervalo, quando o Black Hawks avançou para o ataque, o time da casa teve um field goal bloqueado e retornado para a endzone por Gregory, jogador convocado para o último jogo da Seleção Brasileira. E o Rex continou acelerando. De novo na redzone, Bassani passou para o wide-receiver Arthur Barcelos fazer o seu touchdown; Boddenberg confirma o extra-point e o placar do terceiro quarto marcava 28 a 00 para o Rex.

No último quarto, o Black Hawks conseguiu sua melhor jogada de ataque em um fake punt. Adriel recebeu o snap direto na jarda 40 de defesa e colocou o time já na redzone. Carraro não perdeu a oportunidade e achou Lang no meio de campo para diminuir o prejuízo. O time da casa foi para a conversão de dois pontos, sem sucesso: Rex 28, Black Hawks 6.

O atual tricampeão respondeu com Romário Reis. O quarterback entrou arrepiando no jogo e correu 40 jardas manter o Rex em seu ritmo: extra-point confirmado e o Rex ampliou para 35 a 6, o placar final da semifinal.

Compacto da partida

> Confira tudo sobre o Catarinense em nossa página especial

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGalo derrota Locomotiva e conquista Campeonato Mineiro
Próximo artigoPlacar FABR – 23 e 24 de Junho
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here