Arbitragem mista definida para Brasil x Argentina no Mineirão

1
104
Felipe Oliveira tem 283 jogos em sua carreira. Foto: Claudio De Orte

O histórico amistoso entre Brasil e Argentina no dia 16/12 será um marco em muitas esferas. Além da experiência técnica entre os jogadores das duas seleções sulamericanas, será também um marco para as duas arbitragens, já que quatro brasileiros e três argentinos foram escalados para a partida. Confira:

Referre (árbitro principal) – Felipe Oliveira (Brasil / Paraná)
Umpire (primeiro auxiliar e repõe a bola) – Mariano Gaston (Argentina)
Half Lineman (árbitro da scrimmage) – Flávio Sueldo (Argentina)
Line Judge (oposto ao HL) – Alan França (Brasil / Alagoas)
Side Judge – Humberto Ventura (Brasil / Mato Grosso)
Field Judge – Guillermo Gonzalez Posee (Argentina)
Back Judge – Tarso Oliveira (Brasil / Pará)

Os árbitros têm feito reuniões regulares por Skype para poder definir a mecânica dos jogos, além é claro, dos papéis acima: “Eles já têm uma experiência longa, já que a Federação na Argentina já existe há 18 anos. O Mariano Gaston, que esteve no Mundial de Ohio, tem mais de 400 jogos no currículo, algo que só vou atingir, mantendo a minha média, daqui uns quatro anos”, comentou Felipe Oliveira, que será o árbitro principal do histórico amistoso.

Pelo jogo ser no Brasil, já estava definido que o referee seria brasileiro e Felipe foi escolhido pelos pares como o principal: “Se você for ver a escala, as duplas estão bem distribuídas, com um brasileiro e um argentino”, observa o paranaense.

A mecânica usada para que tudo esteja acertado no Brasil x Argentina vem de uma experiência anterior, no primeiro jogo da Arena Pantanal no dia 21 de novembro de 2015: “Foi uma experiência bastante positiva em Arsenal x Croco, já que eram três árbitros do Paraná e quatro do Mato Grosso. Fizemos várias reuniões por Skype e no dia do jogo, estivemos juntos desde a manhã até a hora do jogo, à noite”, explicou Felipe.

Outra característica interessante apontada por Felipe é que nas reuniões por Skype, os árbitros estão falando suas próprias línguas (português e espanhol): “Assim a gente já começa a entender termos e situações e, na hora do jogo, será algo natural”.

O intuito é que este contato seja uma semente para uma contínua contribuição entre as escolas sulamericanas: “Eles tem muita experiência e material e isso está sendo um link para o futuro. Está abrindo um horizonte para a arbitragem brasileira, espero que todo mundo entenda isso. Ninguém é maior que o esporte. Espero que todo mundo entenda isso e todas as rusgas recentes terminem, deixando as vaidades de lado. É uma grande responsabilidade e precisamos de todos”, conclui Felipe Oliveira.

Saiba tudo sobre Brasil x Argentina nos links e vídeos abaixo, com materiais que só o Salão Oval tem:

Convocação feita em coletiva no Mineirão:

> Exclusiva com Biel, head coach do Brasil Onças, sobre a convocação

> Brasil Onças completa dez anos do 1º jogo; três jogadores continuam lá

> Exclusiva com head coach da Seleção Argentina

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPlacar FABR: 18 e 19 de Novembro
Próximo artigoPampa Bowl: Juventude recebe Uruguai no fim de semana
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here