Tritões vira, elimina Patriotas e vai à final de Conferência

0
99
Créditos: Léo Silveira / 20 jardas

O 11º Clássico dos Campeões viu a quinta vitória dos capixabas neste embate histórico contra o Patriotas, que remonta o ano de 2010, na primeira final do Torneio Touchdown, vencida pelo Tritões. Hoje, o triunfo dos anfitriões em Cariacica valeu a classificação do time laranja para a final da Conferência Sudeste da BFA. O placar de 21 a 07 veio em uma disputada partida contra os cariocas, obtido de virada.

O jogo

A partida começou com meia hora de atraso, no famoso e indesejado atraso da ambulância. Com a bola em jogo, quem começou no ataque foi o Patriotas, que tentou alternar big plays e corridas curtas.

Sem avanço, o punt foi muito bom para os visitantes, fazendo com que o Tritões começasse sua primeira campanha dentro das cinco jardas iniciais. Depois de várias faltas que reposicionaram a bola, a pressão foi tão grande que o Tritões deixou a bola cair na
endzone, recuperada para o touchdown de Pedro Leão. Com o extra-point convertido, 7 a 0.

Na campanha seguinte do Tritões, o time capixaba chegou até o meio do campo, mas os visitantes voltaram ao ataque ao interceptar o quarterback Altivo Ribeiro, o Tivim.

Após paralisação para atendimento médico, o Patriotas voltou ao ataque com grande destaque de sua linha ofensiva, que dava tempo para o quarterback Daniel Gazelle escolher entre passes e sua própria corrida, além de abrir bons gaps para seus corredores.

Mas o avanço não foi além da jarda 28 e o Patriotas foi para o field goal. O chute foi bloqueado e os donos da casa tentaram um retorno, mas foram parados com um fumble, recuperado pelos próprios capixabas ainda no campo de defesa.

Já no segundo quarto, o Tritões não conseguiu avançar, com Tivim deixando a bola cair em uma terceira descida. Após trocas de punt, houve uma grande jogada do Tritões, com LaParish Lewis passando para mais de 60 jardas para o wide-receiver Cirilo. Sem pontos após o touchdown, a vantagem ainda era do Patriotas – 7 a 6.

Com Tivim melhor nos passes, o Tritões chegou à redzone com a recepção de LaParish Lewis. Sem conseguir penetrar na endzone carioca, Marcelão foi para o field goal e colocou o time da casa na frente: Tritões 9 a 7, placar final do primeiro tempo.

O terceiro quarto começou com trocas de punts até a interceptação de Vitinho sobre Daniel Gazelle, que deixou o time da casa já na redzone. Em seguida, Tivim avançou até a endzone, mas a pontuação foi anulada por uma segurada. A jogada voltou e desta vez o passe de Tivim encontrou Cirilo para ampliar a vantagem capixaba para 15 a 7 (sem conversão de dois pontos).

O Patriotas voltou para o jogo e conseguiu chegar à redzone para tentar empatar a partida. Parados nas tentavias de chegar à endzone dos anfitriões, os cariocas foram para o field goal e não converteram, deixando o placar ainda em 15 a 07.

No último quarto, com Tivim machucado, LaParish foi para a posição de quarterback em definitivo. Pouco antes dos dois minutos, o americano escapou dos tackles do Patriotas e correu para a endzone em um touchdown de mais de 60 jardas. Sem converter os dois pontos, o placar ficou em 21 a 07, apesar dos esforços finais do Patriotas nos dois minutos restantes.

O que vem por aí

Para o Patriotas, é o fim da linha em 2017; já o Tritões aguarda a definição ainda hoje de seu adversário na final da Conferência Sudeste da BFA: Sada Cruzeiro ou Botafogo Reptiles.

> Confira todas as informações da BFA em nossa página especial

COMPARTILHAR
Artigo anteriorHistórico, Soldiers derrota HP e chega à final da Conferência
Próximo artigoCruzeiro derrota Botafogo e “reencontra” Tritões
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here