Quando a “vaquinha” tira o FABR do brejo

0
1160
Créditos: Divulgação Patriotas F.A e Victor Francisco

O início de mais um capítulo na história do cenário nacional de futebol americano está sendo construído de uma forma ímpar: equipes fazendo divulgações com meses de antecedência, eventos para vendas de ingressos antecipados e diversas matérias positivas na mídia “não especializada”. Se todo o preparo demonstrado na primeira rodada for empenhado até o final do ano, teremos, sem dúvida, a melhor competição nacional de todos os tempos.

Para dois campeões nacionais, o dia 08 de julho será uma data especial. O embate de uma das maiores rivalidades interestaduais do Brasil, com a partida sendo sediada, pela primeira vez na história, no maior estádio do Espírito Santo.

Quem não se lembra dos playoffs de 2016, em que o jogo entre Tritões e Patriotas teve nada menos que dez viradas no placar?

Toda a expectativa foi deixada de lado por conta de que há menos de um mês, mais precisamente no dia 10 de junho de 2017, o até então Vasco da Gama Patriotas anunciou através de uma nota em suas redes sociais o seu desligamento do “Vasco do Eurico” e começou a se chamar Patriotas F.A. A notícia ecoou de forma bombástica pelos quatro cantos do futebol americano brasileiro, explodiu a bolha do esporte e viralizou pela internet.

A saída do Vasco foi uma questão que, obviamente não esperávamos. A gente vinha de uma parceria há sete anos e uma parceria de sucesso, tanto pelo desempenho esportivo do time, quanto pela relação com a torcida do Vasco. Eu, particularmente, sou torcedor do Vasco e a maioria dos jogadores também torcem para o clube. Era uma grande honra e prazer jogar com essa camisa, mas infelizmente, tivemos uma situação desagradável com a atual diretoria da equipe. “ – Marcel Dantas, presidente do Patriotas F.A.

Quase que no mesmo dia, o Patriotas F.A soltou um vídeo que alcançou mais de 270 mil visualizações no Facebook, com mais de 9 mil interações diretas com seus fãs com mensagens positivas e comentários de apoio ao rompimento com a atual diretoria vascaína.

Com o dia para seu primeiro duelo na BFA chegando, a equipe do Patriotas viu-se em uma situação delicada e criou um crowdfunding (vaquinha) para tentar angariar recursos suficientes para o planejamento do segundo semestre.

Crowdfunding: Ajude o Patriotas a disputar o Brasileiro de Futebol Americano

“O feedback de nossa torcida foi o melhor possível. Tínhamos um receio do que poderia acontecer, mas acho que os torcedores e os vascaínos sabem como as coisas acontecem no Vasco e acreditam que a gente faz um trabalho sério e estão dando todo o apoio que a gente precisa nesse momento e espero que efetivamente continuemos a ter esse carinho da torcida em nossos jogos. – Marcel Dantas, presidente do Patriotas F.A.

Em sua trajetória, o Patriotas F.A nunca ficou fora de playoffs nacionais: com 85% de aparições em semifinais, 57% em finais e com um título nacional (2014), é inegável que as previsões de custos da equipe são altas, já que a probabilidade de viagens no final do ano são elevadíssimas.

Com o objetivo de arrecadar R$ 50.000,00 até o dia 31/07/2017, o Patriotas pretende fazer história também no crowdfunding no Brasil, já que a questão da vaquinha no País ainda não é tão difundida quanto em outros lugares. Exemplo disso é que, de acordo com o site Vakinha.com.br¹, a décima quinta maior campanha solidária de 2016 arrecadou somente R$ 54.390,00.

Até por não ser muito difundido no país, as campanhas solidárias são vistas, em muitos casos, como um desserviço para a marca de uma instituição ou até mesmo como um despreparo de planejamento, mas no caso do Patriotas F.A, a vaquinha é um ganha-ganha.

Boa parte de nosso orçamento do ano estava vinculado as ações de venda das novas camisas comemorativas e com todo esse acontecido, o planejamento teve que ser desfeito. Desse jeito, tivemos que criar o crowdfunding. A vaquinha é importante porque nós sabemos como é difícil ter apoio financeiro no Brasil com um esporte amador que, mesmo em crescimento, o cenário ainda é complicado.” – Marcel Dantas, presidente do Patriotas F.A.

Além de demonstrar para os fãs que, em um momento delicado de quebra de parceria com o Vasco da Gama, a equipe ainda está pensando a médio prazo nos playoffs da BFA; o Patriotas ainda conseguiu utilizar de forma inteligente os holofotes que foram colocados na equipe com o “boom” de visualizações do vídeo acima, unindo toda a questão de amor pela Cruz de Malta e indignação latente dos torcedores para com a gestão atual do Clube de Regatas Vasco da Gama.

Para fazer uma comparação sobre a questão de ganha-ganha e também a reverberação de campanhas sociais na mídia, dou como exemplo o Campeonato Mundial de 2015, no qual tivemos um crowdfunding² realizado para angariar fundos nos esforços de cobrir as despesas dos atletas, além de pagamento da inscrição do Mundial (que dava direito à acomodação, alimentação e translado).

Na ocasião, a campanha foi criada 14 dias antes da estreia do Brasil na competição, porque a CBFA não conseguiu fechar patrocínios suficientes para arcar com as despesas.

Com 443 pessoas ajudando e o valor arrecadado sendo de R$ 29.629,33 (74% do objetivo) a campanha foi um “sucesso”; já que o tempo era curto.

A mobilização, nesse caso, foi quase que total de fãs que acompanhavam a modalidade de perto e que sabiam todas as dificuldades que os guerreiros-atletas passaram para conseguir essa oportunidade única em suas vidas.

Esse amor por vestir a camisa de seu país e conseguir dar orgulho a sua nação foi o que impulsionou o valor atingido na campanha social.

Invariavelmente, a campanha social também demonstrou uma falta de preparo da gestão administrativa da CBFA em conseguir os patrocínios necessários para cobrir os custos da competição, já que a classificação para o Mundial veio quatro cinco meses antes, com a vitória por 26 x 14 contra o Panamá.

Em entrevista divulgada seis dias depois da divulgação da campanha social da Seleção Brasileira³, o atleta Gerson Santos deixou claro a questão de que a falta de patrocínio foi uma surpresa:

“Não, estava tranquilo. A seleção montou uma equipe para captar patrocínio, então pensamos que fosse dar tudo certo. Um mês atrás, eles nos avisaram que não teriam como pagar nossa viagem. Foi de supetão. “ – Gerson Santos, em entrevista para o ClicRBS.

Comparando as duas campanhas sociais, a da Seleção Brasileira, mesmo às pressas, teve um sucesso em seus primeiros dias maior do que a ação do Patriotas F.A.

Em média, o crowdfunding da Seleção arrecadou 1.975 reais por dia, já a do Patriotas está com uma média de 403 reais; totalizando R$ 4.035.

Com dois casos distintos de vaquinhas, crowdfunding ou seja lá qual nome você queira dar para as arrecadações online, a única certeza que tenho é de que o Patriotas conseguiu dar propósito a sua campanha, sem passar uma impressão de que a arrecadação foi feita às pressas e por motivos de falta de planejamento interno.

 

 

Fontes:

1 – http://blog.vakinha.com.br/as-15-campanhas-solidarias-que-mais-arrecadaram-no-brasil-em-2016/

2 – https://www.vakinha.com.br/vaquinha/selecao-brasileira-precisa-de-ajuda-pra-disputar-mundial-pela-primeira-vez

3 – http://dc.clicrbs.com.br/sc/esportes/noticia/2015/06/selecao-brasileira-de-futebol-americano-faz-vaquinha-para-participar-do-mundial-4791811.html

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here