CBFA deve ter eleições até 15 de dezembro

0
4
Marcelli Bassani, presidente interina da CBFA, concedeu entrevista ao Hangout do Salão Oval Arte: Cesar Freitas / Salão Oval

O próximo ano será desafiador para qualquer atividade em quase todos os países do mundo. Para um esporte amador com uma entidade representativa que ainda não conseguiu chegar sequer perto da estabilidade, após três renúncias seguidas das chapas vigentes, será ainda mais.

O primeiro passo para isso é conhecer a situação atual de maneira mais profunda. Após a renúncia de Ítalo Mingoni, Marcelli Bassani assumiu a CBFA interinamente e, além de regularizar a situação representativa (tornando-se de fato e legalmente a pessoa que responde pela Confederação, a presidente interina convocou uma Assembleia Geral com as Federações para apresentação de contas.

Em resumo, em 2019, o total arrecadado pela CBFA foi de R$ 381.420,00. As principais dívidas são compostas por: R$ 39.791 reais (dívidas trabalhistas de rescisão CLT do ex-presidente, Ítalo Mingoni); R$ 32 mil reais para a Big Mídia (provedora do site e estatísticas para a Confederação); R$ 10 mil reais para a Score Gestão Esportiva (rompimento de contrato de produção de cursos educacionais); e débitos internacionais – USA Football: US$ 8.967,48 mil (mundiais de FA e Flag) e IFAF: 100 euros. Há ainda um valor a receber de R$ 40 mil, referente a um empréstimo da CBFA para a Liga BFA, para a produção do Brasil Bowl do ano passado.

> CBFA: Presidente e vice renunciam

Eleições com data limite: 15 de dezembro

Em entrevista em nosso Hangout, a presidente interina Marcelli Bassani esclareceu os próximos passos. A comissão eleitoral deve se reunir nos próximos dias para iniciar o processo que culminará com a eleição da nova chapa. As chapas que decidirem concorrer devem ser indicadas por Federações devidamente regularizadas. Os votos válidos serão exatamente e apenas das Federações em dia com suas atribuições administrativas e legais. O processo está previsto para ter eleições até o dia 15 de dezembro.

Marcelli Bassani, na entrevista, confirmou sua intenção de continuar no cargo, em definitivo, e formará uma chapa. A outra chapa conhecida até agora é formada pelos paulistas Danilo Muller e Cris Kaji. “Dan” Muller já foi técnico da Seleção Brasileira de Futebol Americano, tem um longo histórico junto ao São Paulo Storm e às Seleções Femininas de Flag Football; Cris tem sua trajetória ligada ao desenvolvimento e crescimento da SPFL.

A grande preocupação para 2021 será a decisão da chapa vencedora sobre o formato do Campeonato Nacional 2021. Teme-se um racha em um ou mais campeonatos da disputa nacional, em um cenário em que a CBFA decidiria por um campeonato próprio e a BFA seguiria e sua quarta edição, como já pretendido (e abordado em Hangout do Salão Oval).

Inscreva-se em nosso Youtube e confira a íntegra do Hangout com Marcelli Bassani 

https://youtu.be/7Ovvu6bUpV0 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorBFA anuncia mudanças estruturais e administrativas para 2021
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here