BFA divulga ações para desenvolvimento dos atletas e da Liga

0
2
Conferência entre NBB e Liga BFA

O ano de 2020 vem sendo marcado pela justa ausência dos jogos do futebol americano nacional devido à pandemia. Mas nem por isso, instituições e programas devem ficar parados. Demonstrando que busca evolução e preparação para 2021, a Liga BFA anunciou ações que buscam o desenvolvimento tanto de si como dos atletas: para si, reunião com o  NBB (Novo Basquete Brasil); para os atletas, parceria com o Soul Brasil, site que auxilia no planejamento de carreiras.

Reunião com o NBB

Nesta semana (25), membros da Liga BFA participaram de um treinamento ministrado por integrantes da gestão do NBB (Novo Basquete Brasil). O encontro aconteceu por meio de plataforma online e serviu para que tanto NBB quando BFA compartilhassem entre si suas estruturas organizacionais, bem como trocassem experiências.

A reunião, mediada por Guilherme Buso, diretor de comunicação na Liga Nacional de Basquete, foi dividida entre as apresentações de quatro departamentos do NBB: técnico-operacional, administrativo, marketing/comercial e comunicação. Representando a Liga BFA no encontro, estavam Marcelo Bruno, Lucas Rossetti, Bruno Gouvêa, Victor Silva, Rafael Cerqueira e Vinicius Nogueira.

Lucas Rossetti, diretor esportivo da Liga BFA, considerou o treinamento “uma oportunidade incrível de aprender com a maior Liga esportiva do Brasil, uma tarde de grande aprendizado para a gestão da Liga BFA. A NBB sempre foi um exemplo de caminho a seguir. Agora, vamos traçar os caminhos e buscar cada vez mais o crescimento do Futebol Americano Brasileiro”, resumiu.

Soul Brasil: parceria com app para desenvolvimento de carreira

Coletiva da Liga BFA com representantes da Soul Brasil

Na semana passada (18), a Liga BFA convocou uma coletiva para anunciar a parceria com o site Soul Brasil. Maria Dias e Paulo Braga, fundadores da startup Soul Brasil, explicaram que a plataforma tem dois anos e o objetivo de desenvolver a carreira de atletas – sendo amadores ou de profissionais de categoria de base.

A ferramenta faz um diagnóstico personalizado sobre a carreira, baseado nos sete pilares, categorizados no questionário da Soul Brasil, que pode ser acessado no www.soulbrasil.co. O próximo passo será o desenvolvimento de um aplicativo, mais prático.

“Fizemos testes com uma amostragem de 50 atletas do FABR. Apenas 12% dos atletas tem um desenvolvimento da carreira ideal”, explicou Maria. “Os atletas podem não chegar a ser de alto rendimento, mas com o desenvolvimento de carreira, podem se direcionar a outros setores do esporte”, sentenciou.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGuilherme e Thalles são dois novos talentos brasileiros no México
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here