Maior, Caçadores lança sua temporada virtual para 2020/2021

0
273

A equipe do Ceará Caçadores, assim como o mundo todo, foi pega de surpresa com a pandemia de causada pelo SARS-COVID-2, o novo coronavírus. Mas, apesar de toda a paralisação devido ao isolamento social, o time não irá ficar parado em 2020. Neste domingo, 21 de junho, a equipe deu início oficial da sua temporada, de forma virtual – e convidou o Salão Oval para acompanhar o evento. Também participaram, através de vídeos, o coordenador defensivo da Seleção Brasileira, Clayton Lovett, e dois jogadores do Ceará Sporting Clug, Ricardinho, meio-campo, e Luiz Otavio, zagueiro.

Como mais da metade do atual elenco entrou na equipe neste ano, a diretoria da equipe acreditou ser importante manter a união e situar a importância do time em um cenário nacional. Depois de um breve histórico apresentado pelo diretor esportivo Bruno Rocha, o presidente Henrique Pina expôs vários pontos, a começar pelos cenários de um possível retorno aos gramados.

De volta aos gramados?

No cenário mais otimista, seguindo o cronograma divulgado pelo governo estadual do Ceará, as atividades esportivas voltariam em agosto – o que daria tempo para a realização de dois amistosos (com portões fechados) e até um Bowl até o final do ano para os Caçadores.

“O retorno à prática esportiva no estado do Ceará está programado para a quarta fase de flexibilização no estado, programada para o dia 20 de julho. Assim mesmo, o Ceará Caçadores ainda irá ponderar com sua comissão de saúde e órgãos do esporte para considerar se haverá volta aos treinos presenciais”, explicou Pina.

No cenário intermediário, os treinos presenciais voltariam em outubro, ainda há tempo da realização de dois jogos (com portões fechados).

Já no cenário sem volta de treinos presenciais, a situação fica como está: treinos em vídeo, por posições e setores, focando ainda mais no extracampo: venda de produtos, obtenção de sócios-torcedores, parcerias e a criação da Liga de Flag estadual.

Reprodução: Ceará Caçadores

Parceria rentável

O time, em 2019, firmou parceria com uma das forças do futebol no estado, o Ceará Sporting Club. O contrato com o “Vovô” (apelido do time) acaba em maio de 2021, mas segundo Pina, será prorrogado para mais um ano.

Um dos pontos positivos da parceria com o Ceará é a possibilidade de receber royalties da venda de camisas em pontos comerciais do time de futebol e também vender diretamente os produtos, explorando a grande torcida da equipe no estado. Todo o staff e jogadores podem ajudar à equipe a obter lucro com a venda de camisetas e outros produtos, que garante 70% dos lucros para o time e 30% para os membro, em um importante complemento de renda em tempos de pandemia. Pina aconselhou o uso das redes sociais para a interação e vendas, alinhado com o isolamento social proposto pelas autoridades sanitárias.

Ainda maior

Para a temporada 2020/21, o Ceará Caçadores irá ampliar significativamente seu programa. No total, serão cerca de 150 pessoas envolvidas diretamente com o time, que terá, além da equipe principal masculina, terá seu staff técnico ampliado, com nove membros, e uma impressionante e completa comissão de saúde – com 15 membros.

“Quero desenvolver um trabalho aqui que seja referência para o esporte em todo o Brasil”, afirmou Richard Lowrey, americano anunciado neste ano como novo head coach.

Priorizando a saúde dos atletas, o Ceará Caçadores montou uma ampla comissão de saúde.
Reprodução: Ceará Caçadores

> Saiba mais sobre o Ceará Caçadores em nossa página especial sobre o time

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPaula Chiarotti é mais uma brasileira na WFLA
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here