No Grupo Oeste, forasteiro Indians busca surpreender paranaenses

Com Maurício Silva Jr.

0
258
O São Miguel Indians, de Santa Catarina, é o único time de fora do Paraná na competição Foto: Facebook São Miguel Indians

Um dos campeonatos estaduais mais antigos do País chega a sua 12ª segunda edição. Foi no Paraná que o primeiro jogo disputado com equipamentos oficiais no Brasil aconteceu – no dia 25 de outubro de 2008, entre as equipes do Barigui Crocodiles (hoje Coritiba) e o Brown Spiders – o vencedor da partida, por 33 a 10. A data foi escolhida pelo Salão Oval para ser o FABR Day, comemorada pela comunidade do futebol americano como o seu dia nacional.

> Saiba mais sobre o panorama geral da competição

Como será o torneio em 2020

O torneio em 2020 contará com 15 equipes divididas em quatro grupos –  a sua maior edição até então. As três equipes que participam da BFA Elite estarão no “Grupo Elite”, e as outras 12 distribuídas geograficamente entre Norte, Oeste e Leste.

Os critérios para classificação aos playoffs são os mesmos de 2019, com os três times da “Elite” automaticamente classificados e outras seis vagas aos primeiros e segundos colocados dos outros grupos, com os dois piores segundos disputando um wild card. As oito equipes restantes passam às quartas-de-final.

> Confira a tabela completa do Campeonato Paranaense 2020

Grupo Oeste

Perto da Tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, os times da região fizeram um ótimo trabalho em difundir o futebol americano. Aproveitando a proximidade geográfica com o Oeste de Santa Catarina, as equipes agitam o segundo semestre na região com a Copa Fronteira.

Agora, no Paranaense, tudo se repete em um mini-universo dentro do estadual, com o catarinense São Miguel Indians compondo o Grupo Oeste em disputa com os paranaense do Francisco Beltrão Red Feet, Cascavel Olympians e do tradicional Foz do Iguaçú Black Sharks. O Grupo é o mais imprevisível de toda a competição.

São Miguel Indians

Devido a distância das demais equipes do cenário estadual, o catarinense São Miguel Indians novamente participa do Campeonato Paranaense. Após o bi na Copa Fronteira em 2017 e 2018, a estreia no estadual de 2019 foi considerada surpreendente, caindo somente nas quartas-de-final para o Pyros (e por um placar baixo).

Thiago Schuch, coordenador de ataque, indica que o objetivo para 2020 é “ter uma campanha ainda melhor, visualizando uma possível semifinal ou no mínimo ser campeão do Pinhão Bowl (disputa entre os melhores do interior)”.

Citou que a base da equipe se mantém, com a adição dos irmãos Yan e Grautti Werlang, que tiveram passagem pelo T-Rex e, segundo ele, retornaram ao Indians com muito conhecimento e experiência. Na comissão técnica, destacou a implementação de coordenação de special teams, sob o comando de Raquel Scandolara.

Franciso Beltrão Red Feet

O Francisco Beltrão Red Feet alcançou os playoffs em 2017 (semifinal e título do Pinhão Bowl) e 2018 (quartas), mas em 2019 não conseguiu passar da primeira fase. Marcos Staskoviak, diretor de marketing, cita que a equipe está em processo de reorganização e o vice-campeonato na Copa Fronteira 2019 (onde enfrentou estas mesmas equipes do estadual) indica que o time está no caminho certo.

Acrescentou que o plantel conta com diversos atletas novos, mas algumas saídas (também na comissão técnica) estão exigindo adaptação,  o que, segundo ele, “é normal no futebol americano no Brasil, principalmente no interior, onde a comunidade do FA é menor”. Finaliza citando que o objetivo para 2020 é voltar aos playoffs.

Foz do Iguaçu Black Sharks

O Foz do Iguaçu Black Sharks participou do Campeonato Nacional (seja na primeira ou na segunda divisão) até 2018, mas optou por disputar a Copa Fronteira em 2019. Gleisson Wohlemberg, vice-presidente, comenta que a equipe foi bastante afetada com a perda de patrocínios atribuída a crise econômica, exigindo redução de custos.

Acrescenta que a base da equipe de 2019 está mantida, agregando alguns novatos de destaque, e que antigos atletas estão retornando ao time para auxiliar em sua restruturação. “Estamos voltando a origem Sharks”, finaliza.

Cascavel Olympians

O Cascavel Olympians conquistou o título da Copa Fronteira no final de 2019 enfrentando estes mesmos adversários da primeira fase do estadual. O head coach Michel Antunes indica que o título motivou o time a buscar melhores resultados, mas ressaltou que o projeto da equipe é para cinco anos, mas contam com o objetivo de chegar aos playoffs em busca do Pinhão Bowl.

Acrescentou que a equipe cresceu exponencialmente após o título, e atualmente conta com aproximadamente 70 atletas, com a baixa de apenas um jogador (Pedro Thiago “Brown”) por lesão. Finaliza citando que “o maior destaque é a união deste time”.

> Todos os detalhes do Grupo Elite do Campeonato Paranaense 2020

> Conheça o Grupo Norte do Campeonato Paranaense 2020

> Confira os detalhes do Grupo Leste do Campeonato Paranaense 2020

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here