Tubarões não atravessa o “Vale da Morte” e Rex está no Brasil Bowl

1
641
A torcida do Rex abriu um bandeirão em Timbó para intimadar o adversário. Foto: Richard Ferrari

O Timbó Rex venceu com propriedade o Tubarões do Cerrado em Santa Catarina e é o primeiro finalista da Liga BFA 2019. A vitória credencia o Rex a ser a primeira equipe do Brasil a conquistar o tricampeonato nacional.

O Tubarões do Cerrado até tentou caminhar pelo “Vale da Morte” e não temer nenhum mal, mas não foi desta vez que os brasilienses ‘estiveram cegos para tudo isso”. No final das contas, na semifinal onde era esperado um certo equilíbrio, só deu Rex.

O jogo

O Tubarões começou a partida tentando surpreender o Rex com um chute curto, não chegou a ser um onside kick, mas foi uma tentativa diferente para tentar recuperar a bola logo no chute inicial, mas sem sucesso, os catarinenses receberam a bola sem problemas.

O primeiro quarto não teve pontuação, o Rex conquistava boas jardas com o time ofensivo, mas foi parando com as faltas, já o ataque dos brasilienses se resumia a three and outs.

No segundo quarto, o jogo mais épico da partida. Em um punt do Tubarões do Cerrado, após um vacilo do retornador timboense, a bola foi recuperada na linha de meia jarda do campo de ataque. A equipe de Brasília tinha tudo para abrir o placar e na primeira descida o Timbó Rex forçou um fumble milagroso, recuperando a posse de bola e retornando até a linha de quarenta jardas do campo de ataque.

Na jogada seguinte, o Rex abriu o placar com um dos melhores atletas do Brasil, o wide receiver Guilherme Meurer.  Bassani conectou um passe para o recebedor na linha de trinta e cinco jardas e Meurer correu se desvencilhando dos tackles para marcar o primeiro touchdown da partida. O ponto extra foi convertido pelo kicker Boddenberg: 07 a 00.

Ainda no segundo quarto os catarinenses ampliaram o placar com um field goal convertido por Boddenberg: 10 a 00.

Antes do final do primeiro tempo, faltando 53 segundos para o final, o Rex voltou a marcar. O quarterback Bassani conectou um passe de sete jardas para o wide-receiver Ian Bittencourt, que recebeu dentro da endzone. O chute extra foi convertido por Boddenberg: 17 a 00.

No começo do terceiro quarto, o que parecia impossível aconteceu novamente, o quarterback Jordan Moore sofreu outro fumble na linha de uma jarda, quando o Tubarões tentava voltar para a partida. A bola foi recuperada dentro da endzone pela equipe do Rex e o touchback foi sinalizado pelos árbitros.

No início do último período, o Timbó Rex colocou três posses de bola de vantagem após uma corrida o running back Francisconi. O atleta que já foi campeão brasileiro pelo Jaraguá Breakers e pelo Rex, tem mostrado muita consistência e uma arma muito bem utilizada pelos timboenses em situações de goal. O ponto-extra foi convertido: 24 a 00

O outro running back do Rex e já conhecido do futebol americano nacional, Clair José, também deixou o dele. O atleta de Timbó rasgou a defesa da equipe do Distrito Federal e correu vinte e oito jardas para ampliar o placar. O ponto-extra foi convertido por Boddenberg que terminou com 100% de aproveitamento: 31 a 00.

Antes do final da partida o Tubarões do Cerrado deixou o seu touchdown de honra com uma excelente corrida o quarterback Jordan Moore. O americano avançou vinte e oito jardas com as pernas para marcar o único touchdown dos visitantes na partida. A conversão de dois pontos não foi bem sucedida e o placar final terminou 31 a 06.

Brasil Bowl

O Timbó Rex chega pela quarta vez em uma final de campeonato brasileiro e vai aguardar o confronto entre Galo Fa e João Pessoa Espectros para conhecer o adversário e também o local do Brasil Bowl.

Se o Galo FA vencer, a final será em Belo Horizonte, caso os paraibanos vençam, o Brasil Bowl será em Santa Catarina.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here