Vasco vence duelo lusitano e garante vaga na final contra Galo

0
350
O experiente running back R40 apareceu no terceiro quarto para anotar o terceiro touchdown do time. Foto: Gabriel Azeredo

Fechando a fase inicial dos playoffs da BFA, Vasco Almirantes e Portuguesa FA fizeram o confronto final entre cariocas e paulista da Conferência Sudeste. Em uma temperatura nada amigável aos visitantes, os dois times fizeram uma partida cheia de big plays e com viradas a cada campanha. Ao fim, donos da casa levaram a melhor por 28 a 14 e chegaram pela primeira vez à final de Conferência na era BFA.

O jogo

Os paulistanos começaram no ataque, buscando jogadas curtas, porém mal sucedidas, obrigando o time a chutar a bola antes do primeiro first down. Já os alvinegros tiveram mais facilidade em mover as correntes através de corridas de seu veloz running back Rodrigo Cerqueira “Pacquiao”. Sem conseguir romper a defesa na red zone, o time partiu para um field goal de 39 jardas, convertida pelo kicker Thiago “T-White” Torres, abrindo o marcador – 3 a 0.

De volta a campo com um retorno curto de Branco Menezes, a Portuguesa iniciou sua segunda campanha. Porém, diferente do kickoff, Branco recebeu o handoff e com espaço a direita da linha, arrancou em direção ao campo de ataque deixando defensores ao chão e sendo parado apenas nas 30 jardas. Depois de conexão entre Catullo Góes e Vinicius Seiya, bastou um passe curto do quarterback no colo de Luiz Domingues para anotar o primeiro touchdown do jogo. Ponto extra convertido por João Paulo Lustosa. 7 a 3.

A ótima campanha paulista colocou o time pela primeira vez a frente do placar, mas a vantagem não durou por muito tempo. Depois de um first down conquistado por Pacquiao, Daniel Gazelle executou um play action simples, enquanto Luiz Phelippe “Brown” partia em rota pro fundo do campo. Com os olhos no campo de ataque, Gazelle soltou o braço em direção ao wide-receiver, que recebeu a bola e correu livre para a endzone. T-White colocou a bola no meio do y. 10 a 07.

No segundo quarto, o ataque da Portuguesa continuou dominante, chegando novamente ao campo de ataque com mais uma jogada explosiva de Branco, após passe curto. A 21 jardas da endzone o outro running back do time, Fernando Desimone “Francês”, partiu em uma corrida pelo meio e sem ser tocado, alcançou a goal line virando novamente o placar. Lustosa converteu novamente: 14 a 10.

O Almirantes não quis deixar barato e começou seu drive com uma boa corrida de Pacquiao, mas desta vez não conseguiu passar das 40 jardas devolvendo a bola. Mesmo estando a poucas jardas próximas da própria endzone, a Portuguesa conseguiu saiu do aperto, com passes precisos de Catullo para dois first downs. Mas antes de alcançar o lado oposto do campo encontrou dificuldades em renovar as suas decidas, partindo para quarta para uma jarda. Parando na linha vascaína, o time entregou a bola ao adversário já no campo de ataque.

Fechando o primeiro tempo, Gazelle teve tranquilidade e encontrou Patrick Dutton livre ao fundo do lado direito para a conexão. Com poucos minutos no relógio, T-White colocou mais três ponto no placar em um chute de 35 jardas, diminuindo a diferença: 14 a 13.

Após o intervalo, os vascaínos se viram em uma situação muito semelhante a campanha anterior dos adversários, em uma quarta para uma no meio do campo. Mas neste caso, com a bola na mão de Rômulo Ramos, o R40, a primeira descida veio após o corredor se espreitar pelas trincheiras e conseguir o avanço necessário. As novas decidas resultaram em mais um touchdown, do mesmo R40 que recebeu o handoff, passeou pela linha portuguesa e cortou para a esquerda da endzone. Para compensar a diferença, Gazelle fez um passe curto para Loan Felizardo, anotando dois pontos extras: 21 a 14.

Já no último quarto, a Portuguesa começou a demonstrar cansaço e após dois passes incompletos e uma corrida curta, a Portuguesa chutou um punt sem sair do campo de defesa.

Em seguida, na última big play do jogo, Pacquiao saiu das 13 jardas de seu campo e ligou a quinta marcha conquistando 75 jardas, um pouco antes de Gazelle correr pela direita e com as próprias pernas, anotar mais um touchdown: 28 a 14 com mais um chute T-White.

A Portuguesa ainda teve tempo para mais uma campanha, mas em forte pressão, Catullo acabou sofrendo um fumble recuperado pelo linebacker Axl Marley, do Almirantes. Os vascaínos ainda buscaram ampliar vantagem, mas não chegaram a endzone, antes do apito final: 28 a 14.

Entrevistas: Daniel Gazelle (quarterback/Vasco) e Paulo Henrique Tidus (head coach/Portuguesa)

O que vem por aí

Depois de dois anos sem vencer em playoffs, os vascaínos voltam a um final de conferência, assim como o fez na Superliga 2016. Desta vez, terá pela frente o bicampeão brasileiro Galo FA, em um confronto inédito em 2019.

Embora a acachapante derrota na temporada regular em 2018 (59 a 00 para os mineiros) os dois times fizeram um temporada muito similar, com duas campanhas 100%, dando esperanças aos cariocas para voltarem a uma semifinal nacional, quatro anos depois da última.

> Confira o panorama dos playoffs

Confira partida completa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here