No “Vale da Morte”, Rex recebe o melhor Tubarões de todos os tempos

1
347
Os dois quarterbacks são destaque na imagem produzida pela Assessoria de Comunicação T-Rex Sports Academy

Os jogos mais esperados do ano no futebol americano nacional serão neste final de semana. É quando as conferências se cruzam e finalmente temos partidas que não estamos acostumados a ver, pois elas só ocorrem uma ou duas vezes ano – nas semifinais e no Brasil Bowl.

No sábado, o campeão da Conferência Centro-Oeste, Tubarões do Cerrado, viaja a Santa Catarina para enfrentar o campeão da Conferência Sul, Timbó Rex. As duas equipes se jogaram somente uma vez em toda a história, foi pelas quartas de final do extinto Torneio Touchdown em 2012, também na cidade de Timbó e deu Rex: 10 a 03.

Vale da Morte

Complexo Esportivo de Timbó reformado.
Foto: R2 Imagens

Vale da Morte é o apelido que o Timbó Rex deu ao complexo esportivo de Timbó, local onde a equipe treina e manda os jogos. O local já foi palco de partidas épicas, a mais incrível delas foi a última vez que o Rex jogou em casa uma semifinal nacional, há quatro anos. O jogo foi contra o Flamengo FA e ficou conhecido como “Lama Bowl”, devido as condições do campo em uma virada incrível da equipe da casa pra cima dos cariocas.

O treinador assistente, Lener Fernandes, lembra bem da partida contra o Flamengo, compara com a atuação desta temporada regular contra o Soldiers e faz a observação do que há em comum entre elas: “Aquela partida foi emblemática demais. Mesmo perdendo por duas posses, os atletas e comissão que estavam lá, acreditaram até o fim, assim como foi contra o Soldiers na temporada regular. Tudo começa com a forma que você enfrenta as adversidades presentes numa partida.”

Muito há para se falar do local do jogo nesta prévia, afinal, isso implica em uma viagem de um dia e meio para a equipe adversária, que além do cansaço, jogará contra a torcida que comparece e é barulhenta, podemos dizer que é uma das torcidas que mais sabe fazer pressionar o adversário no Brasil.

As duas últimas partidas do Rex acabaram sendo na cidade vizinha de Indaial, inclusive a final de conferência, em um local onde não há arquibancada, portanto, sem a pressão costumeira. Timbó sediou o JASC (Jogos Abertos de Santa Catarina) e teve que utilizar o complexo para as atividades da competição.

Para a semifinal nacional, o time está de volta ao “Vale da Morte” e com um novo visual: o complexo esportivo foi reformado e ganhou uma pista de atletismo digna de centros olímpicos modernos, o que causa um impacto positivo na maneira que atletas, torcedores e patrocinadores enxergam o local. A reforma veio na melhor hora, afinal, a ESPN transmitirá o compacto da partida em sua grade.

O T-Rex chega a semifinal com a força da torcida, vindo de uma sequência de sete vitórias na BFA e com dois atletas que voltaram do combine internacional da NFL. Toda a força da equipe catarinense estará presente neste sábado para enfrentar o Tubarões do Cerrado.

Para ganhar dos brasilienses, a receita segundo Lener é: “Manter o foco até na hora de beber água. Não há espaço pra erros.” O treinador ainda promete: “Intensidade, honra, respeito e uma baita partida de futebol americano.”

O melhor Tubarões do Cerrado de todos os tempos

Com destaque para a dupla, Jordan e Sedrick, o Tubarões despachou o Arsenal, e levou mais um título de conferência. Foto: Wanessa Magalhães

Para muitas pessoas, o time que viaja para Santa Catarina, é o melhor Tubarões do Cerrado de todos os tempos. A equipe do Distrito Federal sempre foi forte e um time de chegada, mas nunca conseguiu jogar um Brasil Bowl.

No ano passado, a classificação para a tão sonhada final passou perto. O TDC também chegou a semifinal e ainda jogou em casa, no Estádio Mané Garrincha, mas teve pela frente o fortíssimo João Pessoa Espectros, que não deu chances aos brasilienses e venceu por 19 a 00.

Este ano, a equipe é praticamente a mesma do ano passado, mas com muito mais experiência e com o reforço do quarterback americano Jordan Moore. O atleta foi líder de touchdowns na temporada regular (14) e ainda conectou outros dezesseis passes, participando diretamente em 174 dos 352 pontos do time.

O head coach, Fabrício Ataíde, reconhece o bom momento e conta o que há de diferente dos outros anos: “O que há diferente é o amadurecimento do nosso programa de futebol americano. Nós implementamos cultura e hoje há um DNA vencedor na equipe.”

Fabrício também aproveitou para enaltecer o adversário “É sempre um prazer jogar contra grandes times. O Rex é bicampeão nacional e jogar contra gigantes constantemente significa que estamos no caminho certo.”

Mesmo com todos os resultados elásticos e com superioridade dentro de campo, ainda existe a dúvida sobre como o Tubarões do Cerrado irá se comportar entrando em campo sem ser o favorito, mas o treinador foi pontual ao dizer que o importante é jogar com intensidade e buscar a evolução: “Não escolhemos adversários, portanto, o Tubarões buscou evoluir tecnicamente e mostrar intensidade, independentemente de quem estava pela frente.”

Serviço:

Timbó Rex x Tubarões do Cerrado
Sábado, 30 de Novembro às 15h.
Local: Complexo Esportivo de Timbó – Timbó/SC
Ingressos: R$ 15,00 antecipado/ R$ 20,00 na hora

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here