Festuccia: “Gosto de jogar e de poder me dedicar 100% ao time”

0
109

A Liga BFA 2019 trouxe vários destaques nesta temporada e um deles foi o polivalente Vitor Festuccia, do Ribeirão Preto Challengers. Jogando como wide-receiver e kicker, o paulista foi o destaque da Semana 5 da fase regular e ganhou nossa eleição nos Stories do Instagram.

Conheça um pouco mais sobre o jogador nesta entrevista exclusiva.

Salão Oval: Como você descobriu o futebol americano?

Vitor Festuccia: Conheci o futebol americano através do meu irmão que acompanhava alguns jogos da NFL e esporadicamente eu acompanhava junto com ele. Há 5 anos atrás quando eu tinha uma academia na cidade de Franca-SP, eu patrocinei o time da cidade e eles me convidaram para ir à um treino, fui sem nem saber o nome das posições e desde então não deixei mais de treinar para o futebol americano.

Salão Oval: Jogar como kicker ou wide-receiver? Você tem preferência? É difícil ter essa dupla responsabilidade?

Vitor Festuccia: Ano passado eu jogava como safety e em um determinado momento precisou de um kicker e eu fui para ajudar e acabou dando certo. Esse ano mudei para wide-receiver e continuei com a função de kicker. Eu gosto do processo, gosto de jogar e de poder me dedicar 100% ao time, independente da posição. Mas se eu precisar escolher um dia, eu escolheria wide-receiver. Ter essa dupla responsabilidade não é difícil, mas sim desgastante em alguns jogos, porque faço rotas corro e muitas das vezes tenho que chutar o extra-point e o kick-off, mas eu tento me preparar fisicamente ao máximo para estar pronto para a demanda física que a dupla responsabilidade exige.

Salão Oval: Até onde o Challengers pode chegar?

Vitor Festuccia: O Challengers está em um processo de amadurecimento, temos um dos melhores head coach do Brasil (Chico Araújo) mas também temos muitos atletas que estão jogando pelo primeiro ano, outros que mudaram de posição (como no meu caso). Acredito que o Challengers a médio e longo prazo conseguirá voltar a ser uma grande potência no cenário nacional. Estamos caminhando para isso e temos que respeitar o processo natural de implantação de cultura e mentalidade no grupo.

> Saiba mais sobre a história do Ribeirão Preto Challengers

Confira entrevistas com os outros escolhidos da Semana

> Jogador Salão Oval da Semana 1: Alex Niznak

> Jogador Salão Oval da Semana 2: Talon Roggasch

> Jogador Salão Oval da Semana 3: João Victor Koppe

> Jogador Salão Oval da Semana 4: Guilherme Stutz

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAgenda FABR – 09 e 10 de Novembro
Próximo artigoCastores e Silverhawks vencem semifinal e avançam para decisão feminina
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here