Acelerado na fase regular, Tubarões recebe perigoso Arsenal em final

0
155
O quarterback Jordan Moore em partida pelo Tubarões do Cerrado Imagem: Reprodução Instagram Jordan Moore

O Tubarões do Cerrado fez uma das temporadas regulares mais impactantes dos últimos tempos. Placares largos e um show ofensivo comandado pelo quarterback americano Jordan Moore. Mas a semifinal contra o matogrossense Sorriso Hornets parece ter sido um alerta para o verdadeiro, tradicional e pesado desafio – o Cuiabá Arsenal, o desafiante da final da Conferência Centro-Oeste neste sábado, em Goiânia (devido à dificuldade de campos disponíveis em Brasília).

Melhor defesa e melhor ataque

Os números estão à favor do Tubarões do Cerrado: são 59 pontos pró em média na fase regular, contra 20 do Cuiabá Arsenal; e apenas quatro pontos sofridos em média, contra 15 dos matogrossenses. Mas, como mencionado, os adversários do Grupo Centro da Conferência Centro-Oeste não eram tão duros quanto os matogrossenses, como a semifinal demonstrou.

“Sabíamos que o Hornets geraria dificuldades, são um time extremamente competitivo e jogam um FA muito físico. Foi um jogo que o Tubarões saiu atrás do placar, portanto uma boa lição de resiliência para a equipe. É sempre esperado um time forte do Mato Grosso e era impossível projetar um finalista da chave”, comentou Fabricio Ataíde, head coach dos brasilienses.

Se o Tubarões conta com um grande destaque na posição de quarterback, com Jordan Moore tendo marcado simplesmente 31 touchdowns na competição até aqui, o Cuiabá Arsenal dispensou Tommy Kudyba antes da semifinal da Conferência.

Ataíde analisou o impacto da saída do americano do Arsenal: “A troca de quarterback muda o jogo e, apesar de termos um rosto conhecido na posição (o veterano brasileiro Dandan assumiu o comando do ataque do Arsenal), só houve um jogo para observá-lo e entender como o sistema será rodado por ele. Portanto, um pedaço desse quebra-cabeça nossa comissão técnica terá de resolver no jogo”, concluiu.

O retrospecto do lado do Arsenal

Se os números da temporada atual dão um certo favoritismo ao Tubarões do Cerrado, o retrospecto histórico está do lado do Cuiabá Arsenal. Em jogos oficiais até aqui, foram cinco vitórias matogrossenses e duas candangas.

Mesmo assim, o time bicampeão brasileiro (2010/2012) está focado no presente e sabe do perigo do Tubarões nesta decisão: “O maior ponto de atenção será para nossa defesa para parar o Jordan, ele é muito versátil, lança bem, corre bem, e tem apoio de um grupo de atletas que proporciona que ele possa desenvolver o jogo, estamos estudando as vulnerabilidades para conseguir superar”, analisou o presidente Denevaldo Júnior.

Além de Jordan e o Tubarões, a viagem também pode ser um problema para os visitantes, que buscaram mitigar este desafio: “Para ‘driblar’ o problema da viagem buscamos ir um dia antes, dormir na cidade da partida para estarmos preparados e sem o impacto do cansaço da viagem”, explicou Denevaldo.

Sobre a ausência de Kudyba, quarterback e head coach, dispensado antes da semifinal contra o Leões de Judá, o presidente explica que a equipe está preparada: “Ano passado tínhamos a estrutura que está rodando hoje, vínhamos em uma crescente, o elenco em sua maioria se manteve, então ajuda o time todo a crescer”, concluiu.

Serviço: Tubarões do Cerrado x Cuiabá Arsenal – Final da Conferência Centro-Oeste da Liga BFA 2019

Quando: Sábado, 16, às 18h

Onde: SESI Ferreira Pacheco – Goiânia

Ingressos: no local

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGalo e Vasco fazem a única final de Conferência entre invictos
Próximo artigoAgenda FABR – 16 e 17 de Novembro
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here