Ligado, Crocodiles derrota sensação Hawks e continua vivo

1
592
Elijah Freeman foi titular pela primeira vez e o Crocodiles teve o seu melhor desempenho ofensivo na Liga BFA 2019 Foto: Gabriel Wandalen

Se a camisa pesa, o Coritiba Crocodiles fez a sua pesar demais neste domingo em Gaspar. Uma derrota para o Black Hawks colocaria o maior campeão do futebol americano nacional em posição histórica: a de não avançar, pela primeira vez, aos playoffs de uma competição nacional. Esta situação levou a equipe paranaense a ser dominante em todos os momentos do jogo, não dando chances à sensação Black Hawks e vencendo por 34 a 7.

O jogo

Pilhado, o Crocodiles começou acelerando com as corridas de Guiné, que levou o time visitante à redzone. Piu-Piu assumiu as corridas e a defesa do Black Hawks conseguiu impedir a continuação dos avanços. Elijah Freeman, americano, assumiu a titularidade como quarterback e resolveu o problema ao achar Pozzi na endzone. Sem conversão do extra-point, o placar foi a 6 a 0.

No ataque, o quarterback Carraco deu azar ao seu lançamento pipocar e sobrar para o atento defensive back Henrique Rocha, um dos jogadores destaque do Mundial de 2015 em Ohio.

A defesa do Black Hawks fez um bom papel ao pressionar Elijah Freeman com sua linha defensiva e com Guga liderando as ações na secundária. Virando para o segundo quarto, Guga interceptou o americano – sua sexta na Liga BFA 2019.

A resposta do Croco foi letal. Carraro praticamente passou para Cavalo, que correu 12 jardas para garantir a pick-six dos paranaenses: com o ponto-extra convertido, o placar foi a 13 a 0 para o Croco.

Pressionado, Carraro não conseguia espaço para os passes e resolveu avançar para próximo da redzone com as próprias pernas. Em wildcat, o running back Carlos Black correu as jardas necessárias, contando com bons bloqueios de sua linha, para diminuir o placar: 13 a 7 Croco, após ponto-extra.

Ligado em afastar a pressão, o Croco foi eficiente para responder logo depois. Em passe de 30 jardas, Elijah conectou com Aguiar na endzone: Adan Rodriguez conferiu o ponto-extra e ampliou para 20 a 7.

O terceiro quarto começou com um muff do Black Hawks. Na redzone, o Croco foi segurado pelo Black Hawks até Freeman achar um passe precioso para o tight-end Vizza. Adan garantiu mais um ponto – 27 a 7.

Após erro em retorno, o Croco começou o ataque da linha de uma jarda, mas conseguiu escapar da pressão. O terceiro quarto teve o predomínio das defesas e não teve alteração no placar.

O último quarto mostrou o acirramento das defesas. Para mudar o panorama, o experiente quarterback Mamão entrou para achar um lindo passe para o wide-receiver Bernardo Horevitch. Adan fez mais um ponto-extra e ampliou para 34 a 7.

Entrevista pós-jogo

O que vem por aí?

Com o resultado, o Crocodiles mantém as chances de avançar para os playoffs. A equipe ainda deve vencer o Jaraguá Breakers (sem vitórias na Conferência) e fazer contas com outros resultados.

Já o Black Hawks continua dependendo só de si: vencendo o próximo compromisso, contra o invicto Soldiers, o time avança para o mata-mata.

> Saiba mais sobre a Conferência Sul em nossa página especial

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPortuguesa vence duelo paulista e segue em campanha histórica
Próximo artigoEspectros usa armas do Bulls, vence e garante vaga nos playoffs
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here