Arsenal conquista quarta vitória e se classifica para os playoffs

1
185
O Arsenal derrotou o Hawks e classificou a si e ao rival Hornets para os playoffs Foto: Junior Martins/AACA

O Cuiabá Arsenal venceu o Rondonópolis Hawks de virada por placar de 24 a 21, no sábado (14), em partida válida pela primeira fase do Campeonato Brasileiro de Futebol Americano, a Liga BFA. E o resultado garantiu classificação antecipada à próxima fase da competição, os playoffs.

O jogo

Depois de um primeiro quarto em branco, os donos da casa saíram na frente no segundo período. Ex-Arsenal, o quarterback Bozo (Vinícius Alexandre) passou para o americano Tra Fletcher pegar atrás da linha de linebackers e correr à endzone. Com direito a ponto-extra acertado pelo chutador Rômulo Mendes,  o placar foi a 7 a 0.

Mas o Arsenal encostou com touchdown de passe do quarterback americano Thomas Kudyba para o recebedor Bruno Loeschke, destaque da temporada. O experiente Raulin Leal garantiu o empate – 7 a 7.

Na volta do intervalo, muitas viradas. Raulin, com um field goal, colocou os anfitriões na frente (10 a 7). O Rondonópolis Hawks virou com nova dobradinha entre Bozo e Fletcher e mais um ponto-extra de Rômulo (14 a 10).

No último quarto, a emoção aumentou. Terceira vez que Bozo apronta com o Arsenal usando o americano Fletcher para marcar. O ponto-extra entrou por pouco, com Rômulo mando a bola nas hastes do “Y”, mas finalmente entrando (21 a 10, Hawks).

Pressionado pelo adversário e pelo cronômetro, o Arsenal fez a experiência valer e virou o jogo de forma espetacular. Kudyba fez o primeiro touchdown correndo, mas sem a conversão, o placar foi a 21 a 16.

Faltando apenas dois minutos e três segundos para acabar o jogo, a defesa do Cuiabá Arsenal tenta barrar o ataque do Hawks para recuperar a posse da bola e tentar virar o placar. Foi quando o center do Hawks faz um snap um pouco baixo, em que a bola bate nos dedos do quarterback Bozo e cai no chão. Um fumble que foi recuperado pelo Cuiabá Arsenal e que permite a virada.

O Cuiabá Arsenal marchou com corridas até o quarterback Kudyba correr pelo meio, marcar touchdown e virar o placar (22 a 21, agora Arsenal na frente) e ainda converterem dois pontos na corrida do polivalente Loeschke (24 a 21, placar final). E a posse da bola retorna para o Hawks aos 29 segundos pro fim e Bozo tenta desvirar o jogo com diversos passes para o recebedor, Fletcher, mas a marcação impede o catch. E, numa última tentativa, o Hawks manda um chute de field goal para fora e o tempo acaba.

“Foi o segundo jogo com o Hawks neste ano e o segundo em que é decidido nos minutos finais e com nossa defesa em campo. Durante o jogo nós cometemos erros que eles aproveitaram para marcar touchdowns, então não tivemos um bom desempenho, mas mostramos ter mentalidade de time grande quando não nos amedrontamos por estar atrás no placar e também quando esperamos a oportunidade para virar a situação”, disse o capitão da defesa, Igor Mota.

Contexto

O Cuiabá Arsenal fez cinco dos seis jogos da primeira fase do Brasileiro, venceu quatro deles, garantiu classificação antecipada para a segunda fase e fará o sexto confronto já classificado, mas em busca de uma vitória para afirmar a melhor campanha do grupo. Ter a melhor campanha garante a vantagem do mando de campo na partida de oitavas-de-final (primeiro jogo de playoffs).

Já o Hawks está eliminado da competição. Com cinco jogos, o time só tem mais um a fazer e pode ficar no máximo com a campanha 3-3. Como o Hornets já tem três vitórias e derrotou o Hawks no confronto direto, o time de Sorriso também já está na próxima fase e disputará com o Arsenal a primeira colocação do grupo.

Com Junior Martins/AACA

> Saiba mais sobre a Conferência Centro-Oeste em nossa página especial

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPlacar FABR – 14 e 15 de setembro
Próximo artigoAgenda FABR – 21 e 22 de setembro
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here