Nos últimos segundos, Tubarões detém Hornets e garante título do Centro-Oeste

2
818
Foto: Paulo Henrique Cruz

Fechando as finais de conferências da BFA 2018, o invicto Tubarões do Cerrado recebeu o Sorriso Hornets, ambos buscando o primeiro título de conferência de suas histórias. Ao final, o time da casa confirmou o favoritismo, mas diferente do primeiro confronto entre as equipes no último mês, o jogo só foi decidido no último lance graças à defesa brasiliense, que parou o adversário e garantiu a vitória por 13 a 07.

O jogo

O confronto entre Tubarões e Sorriso prometia não só o embate entre as duas melhores equipes do Centro-Oeste em 2018, como também o encontro entre duas das cinco melhores defesas da competição na temporada regular.

E foi assim, com os ataques sendo constantemente neutralizados pelas fortes equipes defensivas dos dois times que o primeiro tempo se desenvolveu.

Só no primeiro quarto, foram quatro three-and-outs seguidos, dois para cada lado. O primeiro first down só aconteceu no terceiro drive do time mato-grossense, impondo seu jogo corrido. Porém, um sack de James Springfield para cima do quarterback dos Hornets, Edilson Kovaleski “Leite”, logo transformou a investida de Sorriso em um novo punt.

Durante o chute de devolução, o snap longo não foi bem executado, deixando o time brasiliense já próximo de seu campo de ataque. O Tubarões então conseguiu enfim desempenhar sua primeira campanha prolífica, com boas corridas de Hitman e uma conexão precisa entre Lucas Tojal e Sedrick Pereira. Chegando a redzone, os brasilienses não conseguiram escapar das marcações inseparáveis da secundária adversária e teve que partir para o first down. Porém, Victor Fialho não converteu o chute, mantendo o 0 x 0 no placar.

O Hornets teve suas chances de abrir o placar, forçando big plays com passes em profundidade do QB Leite. Porém, mesmo com o corpo de recebedores conseguindo separações, bolas muito longas e drops constantes não permitiram avanços do time de Sorriso.

Já o Tubarões teve mais sorte em soltar o braço e, depois de um longo passe de Tojal para Sedrick e um firt down para B1, Tojal encontrou o outro Nunes, o B2, na endzone. Em uma pequena janela entre dois defensive backs, passe recebido e touchdown dos Tubarões. Fialho errou o extra point. 6 a 0.

No segundo tempo, o time da casa começou com bola e logo no retorno, B1 engatou a segunda marcha, cruzou o meio de campo e só parou nas 30 jardas de ataque. Em ótima posição de campo, só bastou um snap para o Tubarões ampliar o placar. Passe para B2, que escapou do tackle e cruzou a goal line em seu segundo touchdown da partida. Desta vez, Fialho não desperdiçou a conversão e colocou mais um ponto no placar. 13 a 00.

Ainda sem grandes feitos com seu time ofensivo, o Sorriso Hornets recebeu novamente a bola, e ao invés de tentar longos passes, decidiu distribuir o jogo aéreo com lançamentos curtos. A estratégia deu certo, o time avançou e pouco tempo depois, o running back Everton da Silva conseguiu alcançar a endzone, no primeiro touchdown da equipe. Ponto extra convertido – 13 a 07.

Podendo matar a partida, os donos da casa desenvolveram um nova campanha produtiva, conquistando jardas suficientes para um field goal. Porém, Fialho provou que não estava em um bom dia e novamente ficou sem os três pontos, em chute com pouca força.

De volta pro jogo e com o tempo se esvaindo, os Hornets voltaram a arriscar rotas longas, mas desta vez, Leite conseguiu o que queria e em um lance de mais de 50 jardas, conectou o wide-receiver Tharcizio próximo a linha redzone. Com sucessivas faltas, o time recuou mas logo depois voltou a avançar agora com o tight end Luiz Alves. À 5 jardas do touchdown, Leite tentou diversas vez o sneak, porém na última decida sofreu um fumble e ficou sem a pontuação.

Pra queimar o relógio, o Tubarões aplicou uma série de corridas curtas chegando até o meio de campo. Bastava um punt para deixar o adversário mais distante da vitória, mas em jogada infortuna, o kicker Pimentel recuou com a bola tentando esgotar o relógio. Acabou sendo derrubado à 8 jardas da própria goal line, a 4 segundos do fim do jogo.

Na chance de virar a partida, Leite recebeu a bola, em um snap ruim. Desesperado, o quarterback ainda arriscou o passe, mas a bola ficou nas mãos do defensor Felipe, efetuando a interceptação e decretando a vitória e o título inédito dos brasilienses. Final de jogo: 13 a 07 Tubarões do Cerrado.

Semifinal Nacional

Depois de ir até João Pessoa encarar os paraibanos no Almeidão em 2017, agora é vez do campeão do Centro-Oeste receber os Espectros em casa. Sendo assim, o Tubarões enfrentam os eneacampeões nordestinos, em Brasília, entre os dias 1 e 2 de dezembro. Caso o Tubarões chegue a uma inédita final nacional, o time viaja até o Sudeste ou até Sul, enfrentando o vencedor de Galo FA e Timbó Rex.

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns aos Tubarões, mostraram grande evolução no futebol americano,agora vão enfrentar o Espectros e estou confiante de que o Espectros vença essa partida e chegar na final👊

  2. […] Campeão da Conferência Centro-Oeste na temporada passada e uma das equipes mais tradicionais da região, o Tubarões do Cerrado já teria credenciais suficientes para ser considerado favorito na partida deste sábado (20) contra o Campo Grande Predadores, em Sobradinho (DF). Para somar na confiança, a equipe ainda vem de uma grande vitória, por 79 a 00 sobre o Brasília Templários, a maior da história da Liga BFA. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here