Galo derrota Tritões e pega Rex em semifinal nacional

1
1150
Parris Lee, destaque do Galo na partida. Foto: João Guilherme / Facebook Galo

Cumprindo o seu papel de favorito e encarando um adversário que foi para a final da Conferência Sudeste com apenas 28 jogadores, o Galo Futebol Americano deslanchou no segundo quarto e garantiu sua esperada presença na semifinal nacional. A vitória por 47 a 14 contra o Tritões faz com que o time receba o T-Rex na partida que levará o vencedor ao Brasil Bowl IX.

O jogo

A final da Conferência Sudeste começou com a paralisação para atendimento médico do jogar Max Ferreira, da defesa do Tritões. Na volta, a defesa do Tritões fez um bom trabalho ao evitar as conexões aéreas do quarterback Álvaro Fadini (formado na equipe capixaba) e forçando o field goal pela ofensiva mineira. Protásio enviou a bola ao seu destino e o placar foi aberto em Belo Horizonte – 3 a 0 Galo. Geralmente punter e kicker nas situações de retorno, Protásio substituiu Charlston Charles, titular, nos chutes de pontuação.

Com apenas 28 jogadores nesta final de Conferência, com ausências notáveis como seus dois wide-receivers mais experientes (Danilo e Cirilo), o Tritões não conseguiu avançar no ataque e devolveu rapidamente a bola aos anfitriões. Contando com sua defesa, a nova campanha do Galo não resultou em pontos, em benefício capixaba.

Após troca de posses, o Galo voltou ao campo de ataque com interferência de passe do safety, capitão e coordenador de defesa Trapa. Parris apareceu no jogo ao adentrar na endzone mergulhando. O ato foi considerado uma conduta antidesportiva pela arbitragem, anulando o touchdown. A saída foi Protásio converter mais um field goal antes do fim do primeiro quarto – 6 a 0.

Sem conseguir avançar ofensivamente, a partida transformou-se nos heroicos esforços da defesa capixaba contra o estelar ataque do Galo. Em lindo deslocamento e passe perfeito quase na sideline, Álvaro conectou com o wide-receiver Pedro Médici (também formado no Tritões), o Galo chegou na redzone. E depois, na endzone com o destaque ofensivo da equipe na BFA, o running back Parris Lee – 13 a 0, com o ponto-extra de Protásio.

No ataque, o quarterback americano do time capixaba Niko Fortino sofreu fumble e o defensive end Marcos Bunn (ex-Istepôs) levou a bola até a endzone e Protásio colocou 20 a 0 no placar. Pressionado, por Bunn, Niko lançou e foi interceptado por Polastri, que retornou para a jarda 25 de ataque.

Perto da endzone, Álvaro foi frustrado por Bozetti. No entanto, na jogada seguinte, novo deslocamento do quarterback da seleção fez com que Rudá fosse a opção mais clara para o touchdown – Protásio colocou o 27 a 0 no placar.

Antes do fim do segundo quarto, Parris Lee desfilou toda a sua técnica para quebrar tackles e ampliar para 33 a 0 (sem a conversão de dois pontos). Um touchdown de Vitor Mega, no limite da endzone, impresionante, foi anulado por holding. Na jogada seguinte, o passe de Álvaro foi para o running back Parris Lee, que fez o seu terceiro na partida – 40 a 00.

No terceiro quarto, quando Niko Fortino parecia conduzir uma boa campanha de ataque do Tritões, Paul Morant, americano defensive back do Galo, interceptou os capixabas. Com as costas na parede, o ataque do Galo sofreu um fumble com Parris Lee, e a bola foi levada para a endzone Holly – com a conversão de dois pontos, o placar foi a 40 a 08.

O Galo respondeu instantaneamente em retorno para touchdown impressionante de Paul Morant, mas uma falta anulou a jogada. Depois de muita indecisão em marcações da arbitragem, Parris Lee fez o retorno que ampliou o placar a 47 a 08 – com chute certeiro de Protásio.

O último quarto teve um lindo touchdown de Niko para Weberton, para 55 jardas em uma quarta descida – sem a conversão de dois pontos, o placar foi a 47 a 14, o score derradeiro.

> Confira como foi a Conferência Sudeste da BFA em 2018

O que vem por aí

A semifinal da BFA entre o campeão da Conferência Sudeste, o Galo, e o da Sul, o T-Rex, está definida para daqui duas semanas em Belo Horizonte. Já na outra semifinal, o João Pessoa Espectros aguarda saber para onde irá no Centro-Oeste – Brasília, se o Tubarões do Cerrado vencer o Hornets amanhã no DF, ou Sorriso (MT), se os visitantes derrotarem os anfitritões amanhã na capital federal.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEm partida de tirar o fôlego, Rex conquista Conferência Sul em casa
Próximo artigoAlex “A-Train” Allen: “Se não está quebrado, eu dou o meu máximo”
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here