Botafogo vence clássico, com direito a hail mary e final apoteótico

1
490
Foto: Esporte Dinâmico

Neste sábado, no Estádio da Rua Bariri em Olaria, Botafogo Reptiles e Vasco da Gama Patriotas fizeram o terceiro e último clássico carioca da fase regular da BFA 2018.

A partida começou difícil para os ataques, mas a boa performance da dupla Mamão e Patrick Dutton garantiu a vitória do Reptiles por 22 a 18, mantendo o time vivo na briga por uma vaga nos playoffs da Conferência Sudeste.

O jogo

Quem começou no ataque foi o Vasco e logo chegou a beira da redzone, empurrado por grande corridas do running back R40, e com grande corrida de 16 jardas do quarterback Daniel Gazelle. Em boa leitura, Gazelle encontrou o wide-receiver Cristian Marinho livre de marcação e logo chegou a endzone, mas uma falta do próprio ataque invalidou a jogada.

Depois de ter seu touchdown cancelado, o ataque cruzmaltino voltou às ofensivas terrestres, mas dessa vez sem avanços. Com isso, o time colocou seu time de especialistas em campo em busca dos três pontos, mas o kicker Yan Viana não converteu o field goal.

Sendo assim, foi a vez do ataque botafoguense iniciar sua campanha, mas essa durou apenas um snap. Em sua primeira decida, Mamão tentou um passe em profundidade buscando o recebedor Patrick Dutton, mas a bola caiu nos braços do defensive back, conferindo o primeiro turnover da partida.

O Vasco então voltou ao ataque, mas assim como o Botafogo na campanha anterior, não conseguiu o first down, com direito a fumble recuperado pelo próprio time e grande sack do defensive end Felipe Marques. De volta à campo, Mamão ganhou uma chance de esquecer seu breve e infortuno início de jogo, mas não foi nesse drive. O que seria um three-and-out, acabou se transformando em first down, depois de um fake punt bem executado por T-White. Mas dois snaps depois, Mamão sofreu nova interceptação, agora pelas mãos de Annibal Franco.

Após o turnover, já em campo de ataque, o Vasco teve uma nova chance de abrir o placar, com mais um field goal. Porém, o kicker errou o goal novamente e manteve o marcador e 0 a 0.

Como parece tradicional nos clássicos do futebol americano carioca, o domínio de jogo continuou sendo das defesas forçando punts, pelos dois lados. Próximo do encerramento do primeiro tempo, o Reptiles teve a chance derradeira de marcar pontos antes do intervalo. Foi aí que a estrela de Ramon Martire brilhou mais forte. Em uma autêntica hail mary, Mamão soltou o braço e encontrou Loan Felisardo na endzone, em um passe de 39 jardas, anotando assim o primeiro touchdown da partida. Conversão de ponto-extra efetuada por T-White e 7 a 0 ao fim da primeira metade de jogo.

Na volta dos vestiários, o time do Reptiles começou com a bola e, ainda embalado pela campanha anterior, voltou a marcar novamente. Depois de um first down corrido do running back Rodrigo Cerqueira “Pacquiao”, Mamão conectou Patrick Duton a algumas jardas da endzone. O wide-receiver completou a recepção, se livrou de dois marcadores e cruzou a goal line para novo touchdown. Desta vez, T-White não acertou o chute – 13 a 00 Botafogo.

Atrás do placar, o Vasco então conseguiu responder à altura, com passe de Gazelle para Luiz Phillipp Mitchell “Brown”, que se desvencilhou de seu marcador e entrou livre para touchdown. Porém, na tentativa de extra-point, o chute de Yan acabou sendo bloqueado e retornado à outra endzone por Pedro Eyer, colocando dois pontos a mais no placar do botafoguenses – 15 a 06.

Mesmo com o touchdown cruzmaltino, o momento ainda era do Reptiles, e na campanha seguinte isso ficou claro. Com o início ruim já esquecido, o ataque botafoguense conseguiu encontrar confiança e pouco tempo depois ampliou a sua vantagem. Já na redzone, Patrick Dutton recebeu a bola e no que era pra ser um “Philly Especial”, onde o quarterback recebe o passe do receiver, se tornou um reverse, com uma corrida de Dutton para o lado direito resultando em mais seis pontos. Além disso, T-White garantiu o ponto-extra, levando o placar em 22 a 06.

Ainda com tempo para virada, o Vasco decidiu então focar seu jogo em seu principal jogodor – R40. E o running back não decepcionou, marcando dois touchdowns corridos em sequência e incrivelmente colocando seu time de volta á disputa pela vitória.

A desvantagem então ficou em apenas quatro pontos e com o momento favorável aos vascaínos. O Botafogo pode então jogar um balde de água na partida, mas Loan, em jogada como quarterback, teve seu passe interceptado pelo cornerback Pedro Leão, dando a oportunidade final de uma improvável, até poucas campanhas atrás, virada do Vasco.

Na campanha final, o time cruzmaltino tentou até a quarta decida, faltando menos de um minuto no relógio. Em seu último passe, Gazelle fez o lançamento com muita força. O receiver tocou na bola, mas não conseguiu a recepção. No entanto, antes que ela tocasse ao chão, Loan, que acabara de ser interceptado, realizou seu primeiro turnover, encerrando o drive e garantindo a vitória dos botafoguenses. Final de jogo – 22 a 18.

Rodada final

Com o resultado, Reptiles e Patriotas empataram em seus retrospectos na competição (3-2) e se colocaram na mesma situação na disputa por um ingresso á próxima fase.

Além de aguardar os confrontos finais entre os líderes das duas chaves, o dois times terão que vencer suas duas próximas partidas e torcer por combinações de resultados favoráveis para chegar aos playoffs. Enquanto o Vasco vai até Minas Gerais encarar o invicto Galo FA, o Botafogo recebe o já eliminado São Paulo Storm.

> Confira agenda, resultados e classificação da Conferência Sudeste da BFA 2018

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here