Galo atropela Locomotiva em grande atuação defensiva

1
832
Galo e América Locomotiva também se enfrentaram na final do Mineiro, com vitória do time de futebol americano do Atlético. Foto: Mourão Panda

Após um primeiro quarto totalmente dominado pelas defesas, o América Locomotiva não conseguiu manter a pressão sobre o ataque do Galo FA e viu o seu rival embalar rumo a vitória por 63 a 2 pela Conferência Sudeste da BFA.

A grande diferença da partida foi o predomínio absoluto da linha defensiva do Galo FA sobre a linha ofensiva do América Locomotiva a partir do segundo quarto. O destaque individual deste confronto foi o defensive tackle titular da Seleção Brasileira (na partida contra a Argentina), Duzão, com dois sacks, diversos tackle for loss e um fumble forçado.

Ofensivamente, Álvaro Fadini (quarterback), Vitor Hugo “Mega” (wide-receiver) e Parris Lee (running back) foram os maiores responsáveis pela larga pontuação.

O jogo

Depois de uma campanha de ataque do América, Parris Lee retornou para o Galo, colocando o time na jarda 40 de ataque. O americano foi também o responsável por colocar o alvinegro na redzone. No entanto, o América Locomotiva foi capaz de parar as maquinações do quarterback Alvaro Fadini, forçando o Galo a partir para o field goal. Charslton Charles, o “Chaw”, não conseguiu converter e o placar permaneceu inalterado.

Em novo ataque, o quarterback americano Talon Roggasch conseguiu o first down para o Locomotiva ao enxergar espaço para corrida no meio de campo. Na sequência, o safety compatriota de Talon, Paul Morant, interceptou o comandante de ataque do América e recolocou o Galo na redzone. Em nova sequência brilhante, a defesa do Locomotiva parou o Galo, com um tackle for loss crucial do defensive end Ciro Otávio sobre Parris Lee.

As defesas estavam brilhando. Com uma linha digna de Seleção Brasileira, com Marcos Bunn, Duzão e Tuleba, Talon Roggasch foi apressado e interceptado para uma linda pick six de 25 jardas de João Vitor Queixada. Em trick play, o Galo não conseguiu a conversão de dois pontos, deixando o placar em 6 a 0.

Após punt do América, Parris Lee deixou a bola escapar e o gunner Bundinha recuperou para o Locomotiva, no último lance do primeiro quarto. Ainda muito pressionado, Talon não conseguia fazer o seu ataque produzir. Após punt do América, Paul Morant pegou a bola na jarda 3 de defesa e quebrou cinco tackles para deixar o Galo na jarda 28 de ataque. E foi dali que o braço mágico de Álvaro encontrou o wide-receiver Vitor Hugo “Mega” para um lindo touchdown. O Atlético de novo tentou dois pontos, na corrida com Dhiego Taylor, linha ofensiva da equipe. Após a jogada não efetivada, 12 a 0 Galo.

Se a defesa do Galo continuou sem dar muitos espaços para Talon Roggasch, a do América não conseguiu o mesmo desempenho do primeiro quarto. Parris Lee recebeu passe de Álvaro e correu da jarda 30 de defesa até a endzone. Chaw desta vez acertou o extra-point e o placar foi para 19 a 0.

Dentro dos dois minutos finais do segundo quarto, o Galo chegou muito perto da endzone no passe de Álvaro para Mega. Na jarda dois de ataque, Álvaro e Parris avançaram com a bola, com o americano cruzando a linha final. No erro na tentativa de ponto-extra, o América conseguiu retornar para fazer dois pontos, com o linebacker Bruno Nascimento deixando o placar em 25 a 02 no intervalo.

O terceiro quarto começou com nova campanha efetiva do Galo FA. Após corridas de Parris e um bonito passe para Mega, Álvaro Fadini não deixou de fazer o seu tradicional touchdown corrido – Chaw confirmou o ponto-extra e colocou o placar em 32 a 2.

A disparidade entre a linha ofensiva do América e linha defensiva do Galo não permitia que o ataque do Locomotiva permanecesse em campo. Novamente no ataque, o Atlético ampliou após sequência de eficientes corridas de Rafael Fadini, running back irmão do quarterback Álvaro. Novo chute certeiro de Chaw e 39 a 2 no placar.

Ainda no terceiro quarto, a mercy rule foi aplicada pela arbitragem (vantagem no placar acima de 34 pontos), fazendo o tempo passar mais rápido.

Ilustrando a superioridade da linha defensiva do Galo sobre a linha ofensiva do América, Duzão forçou o fumble de maneira brilhante, com Marcos Bunn (ex-Istepôs) recuperando. Após lindo option de Álvaro para Parris Lee e novo acerto de Chaw, o placar foi para 46 a 2 para o Galo FA.

Ainda no terceiro quarto, um punt do América foi brilhantemente bloqueado por Tuleba. Com a bola saindo pelo fundo da endzone, o Galo conseguiu mais dois pontos – 48 a 2.  Ainda no terceiro quarto, passe de 26 jardas de Álvaro para Mega – Chaw garantiu o 55 a 2.

Nervoso, o Locomotiva chegou ao último quarto com dois jogadores ejetados. Gute, quarterback formado no América, foi quem tentou comandar o ataque da equipe que tinha grande desvantagem no placar.

O Galo também colocou o seu quarterback número 2. E com Maycon Dacaza entregando a bola para Rafael Fadini, o running back correu 60 jardas para marcar o seu segundo na partida. Na conversão de dois pontos, Maycon fez mágica para passar e garantir mais dois pontos: 63 a 2 – placar final.

Próximos jogos

Com o resultado, o Galo FA atinge sua terceira vitória em três jogos e continua invicto na competição. O próximo desafio do time de futebol americano do Atlético Mineiro é recebendo o São Paulo Storm.

O América Locomotiva conheceu sua primeira derrota após vencer Botafogo Reptiles e Flamengo Imperadores. O próximo jogo do Coelho da bola oval seria contra o Juiz de Fora Imperadores. Mas com o W.O. do outro time mineiro, o América fica com campanha 3-1 e espera o Tritões no fim de setembro.

> Confira os resultados, agenda e classificação da Conferência Sudeste da BFA

COMPARTILHAR
Artigo anteriorLusaStorm Day também é Portuguesa x Storm pela BFA
Próximo artigoReptiles devora Corinthians e vence a primeira na BFA
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here