Na raça, Romário leva Caçadores à revanche contra o Espectros

1
91
Um passe para Talon Roggash e uma corrida definitiva do herói de Fortaleza. Foto: Sualisson Tavares

Em um jogo emocionante, decidido na prorrogação, Ceará Caçadores e Recife Mariners decidiram o segundo finalista da final da Conferência Nordeste, da BFA 2017. No fim do tempo extra, quem ficou com a vaga foram os cearenses, que venceram por 13×07, no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza.

O jogo

Os donos da casa começaram no ataque e abusaram do jogo corrido com Luis Eduardo “Maranhão”, que conquistou jardas suficientes para colocar o time em posição de field goal, mas na tentativa de abrir o placar o DB Guilherme Santana bloqueou o chute do kicker cearense, forçando o turnover-on-downs.

Em sua primeira campanha, o time de Recife explorou seus diversos RB para mover as correntes, além de aproveitar uma falta adversária e emplacar uma big play entre o quarterback Rafael Tavares e o tight end Augusto Bezerra, em passe de 44 jardas. Porém, em sua terceira jogada na redzone, Tavares sofreu sua primeira interceptação, pelas mãos do americano Talon Roggash.

Já no segundo quarto, os times ainda buscavam a primeira pontuação, mas tiveram muitos obstáculos em suas iniciativas. Enquanto o kicker do Mariners, Rafael Bandeira, teve dois field goals não convertidos, o QB do Ceará, Romário Reis, teve muitas dificuldades em conectar passes e quando resolveu avançar com os pés, acabou sofrendo um fumble, forçado por Breno Tiago.

Em uma boa posição de campo, resultado do turnover forçado, o time visitante finalmente colocou seus primeiros pontos no marcador, em uma corrida curta de Lucas Adolfo. Ponto extra convertido. 7×0.

No segundo tempo, as duas defesas foram dominantes até metade do último quarto, com destaque para mais um bloqueio de field goal realizado pelo Caçadores, pelo LB Kaléo Melo, e um fumble recuperado pelo strong safety Joc Crowford dos Mariners.

Finalmente, já no último quarto, o time de casa ingressou uma campanha bem sucedida. Depois de muitas corridas de Maranhão e até mesmo de Romário, o próprio QB conectou Talon Roggasch, que em uma bela recepção, manteve viva a chance da virada cearense. Danilo Arrais converteu o ponto para levar o jogo à prorrogação.

No tempo extra, os Mariners tiverem a oportunidade de sair na frente, mas a sina do kicker Rafael impediu que o time anotasse mais três pontos. Chute bloqueado e bola do Caçadores.

Bastou três jogadas para o Caçadores consolidar a virada e garantir a vaga na próxima fase. Romário percorreu 12 jardas até a endzone para a vitória.

Fim de jogo – Ceará Caçadores 13 x 07 Recife Mariners (OT)

Final do Nordeste

Assim como na última Superliga Nacional, Caçadores e Espectros se enfrentam na grande decisão da Conferência Nordeste.

Diferente do ano passado, os invictos e mandantes dessa vez serão os paraibanos, que foram campeões regionais pela sétima vez, derrotando o Caçadores em Fortaleza por 27 a 20 no PV, em 2016.

> Confira a página especial da BFA

1 COMENTÁRIO

  1. O título da matéria deveria ter dado ênfase à defesa e não ao Romario… Que jogou Ben abaixo do que pode apresentar, sem dúvidas é um atleta diferenciado, mas esse foi o jogo em que a defesa dos Caçadores ganhou o jogo!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here