Crocodiles impõe experiência, derrota Soldiers e é o dono do Sul

3
42
Campeão mundial em Ohio em 2015 como wide-receiver pelos EUA, Drew Banks é o quarteback do Crocodiles e foi o destaque da partida que deu o título da Conferência Sul para os curitibanos. Foto: André Schroeder

Pela primeira vez em sua história, o Coritiba Crocodiles sequer foi a final do Campeonato Paranaense, onde é heptacampeão; pela primeira vez em sua história, o bicampeão brasileiro se classificou para os playoffs como a pior equipe de sua Conferência.

Mas o retrospecto negativo no ano parece ter sido o combustível para que o maior detentor de títulos da história do futebol americano nacional saísse da Conferência Sul, a de maior nível técnico do Brasil, como a vencedora, após a vitória contundente em Santa Maria contra o Soldiers por 35 a 06.

O jogo

O Crocodiles começou no ataque, mas após pequenos avanços alternando passes e corridas, o quarterback Drew Banks (campeão mundial em Ohio 2015 como wide-receiver dos EUA) foi interceptado pelo defensive back da casa Fabrício Ziegler. No ataque, o Santa Maria Soldiers chegou até a jarda 23 no passe de quarterback Douglas Rodrigues para o wide-receiver Marcos Spiess. Com a defesa curitibana impedindo os avanços do Soldiers, a saída foi o field goal com Fabrício Santana, que não converteu.

Na retomada, o Crocodiles foi aos poucos avançando até a jarda cinco do campo de ataque, com destaque para o improviso de Drew Banks e a eficiência do histórico wide-receiver Adan Rodriguez. Na jarda cinco, Fogaça correu para a endzone para tirar o zero do placar: com o ponto-extra de Leonardo Rebello, destaque da equipe sub-19, o placar foi para 7 a 0 para o Coritiba Crocodiles.

Já no segundo quarto, o Soldiers sofreu um 3&out e a bola voltou para os visitantes, que com muitas faltas, viu seu ataque ficar em um situação de primeira para 30 jardas. Na tentativa de diminuir o prejuízo, os paranaenses sofrem um fumble e o retorno dos gaúchos deixou o time já na redzone.

Com posições invertidas, wide-receiver Nathan Dias passou para quarterback Douglas Rodrigues, que deixou o time da casa a meia jarda da pontuação. No sneak, Douglas marcou o touchdown local, que não foi seguido pela pontuação extra: 7 a 6 para o Crocodiles.

Após trocas de posse, o Crocodiles chegou à redzone faltando um minuto para o fim do quarto. Ziegler impediu a recepção de Adan e Banks sofreu um sack do defensive line João do Santos. Na jogada crucial, Vagner Freitas recuperou fumble forçado por João dos Santos, impedindo uma possível pontuação dos visitantes.

Na volta do intervalo, o terceiro quarto começou com os gaúchos no ataque, que não conseguiram encaixar seu jogo corrido e a saída foi o punt. No ataque, o histórico running back da Seleção Brasileira, Lucas Mullet, correu 55 jardas para ampliar a vantagem do Crocodiles: 14 a 6, com ponto-extra convertido por Leonardo Rebello.

Os históricos Adan Rodriguez (WR) e Lucas Mullet (RB) anotaram touchdowns e foram a marca da experiência do Crocodiles no título da Conferência Sul em Santa Maria.
Foto: Victor Francisco/Salão Oval

Após tempo médico longo, o Crocodiles retomou a bola após linda roubada de bola do defensive back Henrique Rocha, único atleta do Crocodiles convocado para o amistoso Brasil x Argentina, das mãos do wide-receiver Marcos Spiess. Já na jarda 35 do campo de ataque, o jogo aéreo eficiente levou o Crocodiles para a redzone. Banks passou para Colletti entrar na redzone. O ponto-extra novamente foi convertido por Rebello: 21 a 6 para os paranaenses.

Com duas posses de bola atrás, o Soldiers pareceu sucumbir ao nervosismo e a bola voltou para o Crocodiles. A chance de colocar três posses de vantagem foi desperdiçada no field goal de Rebello.

O último quarto começou com o Soldiers no ataque e pressionado pelos minutos finais. Douglas Rodrigues foi interceptado na busca por Nathan Dias. Com a vantagem no placar e a experiência de ser o time com maior número de títulos do esporte no Brasil, o Crocodiles soube gastar o relógio com seu tradicional jogo corrido. Chegando na redzone, o passe de Drew Banks entrou em ação para mais um touchdown, desta vez com o capitão Adan Rodriguez: novo ponto-extra confirmado por Rebello, 28 a 6 Crocodiles.

O nervosismo se repetiu para o Soldiers, que perdeu a bola com o running back Guilherme Busanello. Em nova posse, Drew Banks correu para endzone e fez o seu touchdown corrido, com novo ponto-extra de Rebello: 35 a 6.

Os erros continuaram por parte do time da casa, que perdeu novamente a posse de bola por duas vezes. O Crocodiles ajoelhou na bola e garantiu o incrível título da Conferência Sul.

O que vem por aí

O título da Conferência Sul para o Coritiba Crocodiles garantiu a passagem para a semifinal geral da BFA, contra o vencedor de logo mais entre Sada Cruzeiro e Tritões, que disputam o título da Conferência Sudeste.

Já para o Santa Maria Soldiers, o ano de 2017 termina com a equipe com retrospecto 5-2 na BFA, vindo da divisão de acesso no ano passado.

> Saiba tudo sobre a BFA em nossa página especial

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAgenda FABR: 28 e 29 de Outubro
Próximo artigoCruzeiro vence “clássico” contra Tritões e conquista Sudeste
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here