Técnico do Cuiabá Arsenal é único olheiro da NFL no Brasil

1
303
KJ já está radicado em Cuiabá há mais de cinco anos. Foto: Júnior Martins

O treinador americano do Cuiabá Arsenal, Kenneth Joshen recentemente foi aprovado num teste, que realizou em julho deste ano, em Washington, para ser certificado como scout da National Football League (NFL). E, daqui a duas semanas, quando sua licença for efetivada, poderá negociar contratos com atletas brasileiros para jogar na NFL.

“É uma oportunidade para todos os jogadores do Brasil entrarem agora na NFL, não amanhã, não depois. Qualquer jogador no Brasil poderá ser agora contratado para jogar na NFL. Isso é uma coisa muito boa para o esporte. É muito importante ter uma pessoa aqui para representar a NFL dentro do país. Isso mostra como o esporte já cresceu aqui”, conta Kenneth Joshen.

A National Football League, popularmente “NFL”, é a maior liga de futebol americano do mundo e a liga esportiva mais valiosa do planeta, com arrecadação de 12 bilhões de dólares por ano. E tem 32 times, está entre as cinco ligas com maior número de espectadores do mundo e reúne os melhores jogadores da modalidade.

Para manter esse nível de excelência da competição, existem os olheiros ou scouts (no original em inglês), como Kenneth agora, que são profissionais que visitam equipes e assistem partidas em busca de possíveis talentos para agregar aos times profissionais norte-americanos.

Como scout da NFL, é possível trabalhar próximo de jogadores e jogos de futebol americano, sem necessariamente jogar em times. O profissional da área deve ter grande conhecimento do esporte, além de habilidades de organização e administração, instinto para bons talentos, networking, paixão e persistência.

Kenneth conta que o desejo de ser um scout da NFL surgiu ainda na escola, durante as aulas de educação física em 2001. Em busca do seu sonho, ele fez a faculdade de direito, além de MBA´s e pós-graduação em Gerenciamento Esportivo, já pensando nessa função.

“O processo de solicitação da certificação é muito competitivo”, conta Kenneth. Cerca de 250 candidatos fazem a prova por ano, mas apenas de 50 a 75 são certificados pela NFL. Dentre os requisitos para ser aprovado está: ser bacharel, ter feito MBA´s ou pós-graduações, todos reconhecidos e certificados dentro dos Estados Unidos.

Agora Kenneth planeja encontrar talentos brasileiros, “Após o final da temporada nacional brasileira, viajarei pelo país e encontrarei os atletas mais talentosos”, disse.

Texto: Letícia Ferraz / Junior Martins

COMPARTILHAR
Artigo anteriorWeilers vence mais uma pela Liga Nacional
Próximo artigoExcluído, Santos Tsunami questiona legalidade da BFA
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here