Em grande retorno de Mullet, Crocodiles derrota Juventude

0
70
Mullet (à direita) voltou hoje aos gramados e marcou três para o Crocodiles; o outro RB lendário do Croco, Santucci (à esq.) está se recuperando de lesão. Ao meio, Adan Rodriguez fez uma recepção de 40j e converteu dois xp hoje. Foto: Victor Francisco / Salão Oval, no Brasil Bowl de 2015.

Se um novo fôlego e o resgate da antiga garra do Crocodiles era o necessário para que o time voltasse a vencer, foi literalmente isso que o time de Curitiba teve na vitória por 47 a 00 contra o Juventude neste sábado. Um de seus lendários running backs (e também da Seleção Brasileira) retornou aos gramados neste ano para marcar nada menos do que três touchdowns: Lucas “Mullet” Nascimento, que havia atuado pela última vez na derrota por 25 a 06 para o T-Rex na fase regular da Superliga do ano passado.

O jogo

Já no início do jogo, o Croco conseguiu um retorno excelente com Pozzi, que deixou o ataque curitibano na linha de 11 jardas. Com duas jogadas do veterano Mullet, o Crocodiles abriu o placar: 6 a 0, com extra-point não convertido.

Na segunda campanha do time da casa, após erro de punt dos gaúchos, novamente o veterano Mullet ampliou: 12 a 00, com novo erro de extra-point. Na terceira campanha, a defesa do Juventude conseguiu parar o Croco na cara do touchdown e o time de chute paranaense mais uma vez não funcionou, desta vez na tentativa de um field goal, com o placar permanecendo 12 a 00.

Na primeira ação efetiva do ataque do Juventude, o americano Marvin Desir, atuando como quarterback, correu até a jarda 42 do campo de defesa. Apesar do subsequente avanço para o campo de ataque, o Juventude não colheu frutos na campanha e o primeiro quarto terminou com a vantagem do time da casa.

No segundo quarto, o jogo ficou um pouco mais equilibrado e o Juventude teve outra oportunidade no ataque; no entanto, o field goal não foi aproveitado. A resposta do Croco veio com linda recepção do capitão e wide-receiver Adan Rodriguez, que deixou o time da casa na jarda quatro de ataque. E, mais uma vez, o roteiro se repetiu: Lucas Mullet entrou na endzone e fez o terceiro na partida. O que foi diferente é que o extra-point, desta vez, foi aproveitado: 19 a 0.

Na volta do terceiro quarto, o jogo ficou mais preso, mas no final, o Crocodiles conseguiu avançar novamente com Drew Banks até a redzone. Uidinely foi quem entrou na endzone para ampliar para 26 a 00 (com xp convertido por Adan Rodriguez). Antes do fim do quarto, o time de Curitiba recuperou fumble e, já na redzone, Fogaça anotou mais um: 33 a 00 (xp novamente convertido por Adan Rodriguez).

O último quarto começou novamente com um fumble do Juventude, com Charles levando a bola para a endzone. No entanto, um apito inadivertido anulou a pontuação paranaense. Na cara do touchdown, Colantuono (quarterback reserva de Drew Banks) passou para o wide-receiver Gutz ampliar para 40 a 00 (xp bom, com Rebello).

Com a mercy rule em ação, o jogo avançou rapidamente para o final, mas não sem um novo touchdown do Croco: passe do Colantuono para Gutz, fazendo 47 a 00. Antes de ajoelhar e decretar o final, o time da casa conseguiu ainda uma pick six, anulada por holding.

O que vem por aí

A próxima partida do Crocodiles será clássico contra o Brown Spiders, que derrotou a equipe na semifinal do Paranaense; já sem chance de playoffs, o Juventude visita novamente a capital do Paraná, na visita ao Brown Spiders.

Pontuação:

Crocodiles: Lucas Mullet (3 corridos), Rondinelli (1 corrido), Fogaça (1 corrido), Charles (recuperação de fumble); Colantuono, dois passes para o wide Gutz.

> Confira o panorama da Conferência Sul da BFA

COMPARTILHAR
Artigo anteriorClássico Breakers x Gladiators acontece pela 1ª vez nacionalmente
Próximo artigoReptiles vence mais uma e se aproxima da classificação
Avatar
Editor-chefe do Salão Oval, maior plataforma de mídias destinada ao FABR, Social Media Journalist da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) e Social Media Editor para a Premier League (Campeonato Inglês de Futebol). Realizei coberturas nacionais pelas cinco regiões do Brasil e também nos EUA (Mundial de Ohio) e Perú (1º Torneio Guerrero de Los Andes), sempre acompanhando o futebol americano nacional de perto. Narrador e comentarista para o futebol americano nacional em diversas ocasiões (BandSports, Fox Sports e Globo Esporte.com), fui também jogador da Lusa Lions (flag 2008) e do Corinthians Steamrollers (2009 a 2012).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here